14 de junho de 2024
Campo Grande 30ºC

Para “evitar problemas”, tarifa do ônibus sofre reajuste e chega a R$ 3,00

A- A+

A partir de hoje, a tarifa do ônibus, que já era considerada alta pelos usuários, quando foi divulgado o aumento para R$ 2,99, teve outro aumento, dessa vez de  R$ 0,01, passando a custar R$ 3,00. De acordo com os técnicos da Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços e Delegados) de Campo Grande, Rudel Trindade Júnior, a medida é para que problemas com o troco sejam “evitados”, na recarga e compra de cartões do transporte coletivo, que tem aproximadamente 1.080 pontos de revenda espalhados pela cidade. Com isso, a única beneficiada é a empresa Consórcio Guaicurus, que tem aproximadamente 270 mil usuários de ônibus diariamente. O decreto 1.246, que reajusta a tarifa de ônibus, fixou em R$ 3,60 a passagem do ônibus executivo (o fresquinho) e em sete datas especiais o usuário vai pagar R$ 1,20: 1º de Maio (Dia do Trabalho); 02 de Novembro (Finados); 26 de Agosto (aniversário de Campo Grande); no segundo domingo de maio, Dia das Mães; segundo domingo de agosto, Dia dos Pais , Natal e Ano Novo. A tarifa será 11% superior ao valor pago atualmente pelo usuário, como a base de cálculo do reajuste foi a tarifa técnica em vigor, de R$ 2,76, a correção foi de 8,768%.  A tarifa que foi reduzida no ano passado de R$ 2,85 para R$ 2,70, assegurou-se às empresas um crédito de R$ 0,06 a ser devolvido na data-base de reajuste tarifário, em 25 de outubro, que está sendo concedido agora. Conforme a planilha da Agereg, dois insumos foram determinantes para o reajuste tarifário autorizado. A mão de obra, que representa 40% do custo operacional das empresas, teve correção de 8%, com o salário-base do motorista subindo de R$ 1.470,32 para R$ 1.587,95. O óleo diesel, que representa 25% dos gastos, teve correção de 13,393% (o litro passou de R$ 2,1840 para R$ 2,529, preço de outubro); enquanto o INPC , que representa 10% na composição da tarifa, foi de 6,993%. Tayná Biazus