14 de junho de 2021
Campo Grande 27º 13º

Prefeito tenta justificar comissionados

A- A+

O prefeito da Capital Gilmar Olarte (PP), disse hoje que vai cortar comissionados, mas que  muitos deles preenchem vagas deixadas por servidores aposentados ou que solicitaram sua saída dos quadros da Prefeitura de Campo Grande, tentando assim justificar a presença de muitos deles no quadro funcional da prefeitura. No último dia 11 de novembro, o MPE (Ministério Público Estadual) sugeriu que a prefeitura reduza o quadro de comissionados em razão da crise que Campo Grande tem passado nos últimos meses. Gerson Eduardo de Araujo, promotor do MPE  recomendou que o prefeito suspenda a concessão de vantagens ou aumento de remuneração excedente e reduza em pelo menos 20% as despesas com cargos em comissão e função de confiança. “Até o sétimo mês de gestão foram 1.260 exonerações, sendo 60% de servidores que se aposentaram ou foram assumir outros cargos. Tivemos diminuição e como não tinha tempo hábil para abrir concurso, que vamos fazer, precisava repor”, disse. O prefeito ainda alega que servidores de carreira foram reconduzidos a cargos de gestão para destravar serviços em diversas secretarias e como forma de valorização. Segundo Olarte, ainda não há definição do número de comissionados que serão demitidos e nem a área que eles atuam, porém disse que haverá uma reorganização das finanças até janeiro que possibilitará condições mínimas de governar e retomar ritmos de investimentos. Existem dois procedimento preparatórios que apuram eventual ato de improbidade administrativa supostamente praticado pelo prefeito da Capital e por ter nomeado 1.044 servidores comissionados sem a observância da lei da Ficha Limpa, já o outro inquérito civil investiga possível nomeação de servidores “fantasmas” na prefeitura.