19 de maio de 2024
Campo Grande 18ºC

PREFEITURA | PREVENÇÃO

Prefeitura amplia acesso à vacinação da gripe com abertura de ponto temporário no Centro

O ponto irá funcionar com profissionais cedidos pela Secretaria Municipal de Saúde

A- A+

Aberta para toda população desde à última quinta-feira, dia 11 de maio, a vacinação contra a gripe segue em Campo Grande. Como uma forma de ampliar o acesso ao imunizante, um novo ponto de vacinação está sendo aberto nesta segunda-feira, dia 15 de maio, no Centro da Capital, através da parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e o Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul (CBMMS).

A estrutura foi montada no Quartel Central do Corpo de Bombeiros Militar, que fica a rua Sete de Setembro 408, esquina com a Rua Quatorze de Julho, e funcionará até o 19 de maio, das 8h às 19h. O atendimento é por ordem de chegada. O ponto irá funcionar com profissionais cedidos pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau).

Durante a abertura, o secretário municipal de Saúde. Dr. Sandro Benites, reforçou a importância de toda a população se vacinar, sobretudo aqueles que pertencem aos chamados públicos prioritários, que acabam sendo mais suscetíveis a desenvolverem formas graves da doença.

"O frio já chegou e é muito importante estarmos vacinados e aumentarmos o índice de imunização em nossa capital. Somente assim iremos conseguir controlar a doença e evitar uma sobrecarga no serviço de saúde", comentou.  Na oportunidade, o secretário agradeceu a todos os servidores da Sesau pela dedicação e o cuidado com a saúde da nossa população.

*Baixa cobertura*

Conforme relatório disponibilizado na sexta-feira, dia 12 de maio, de maio pelo Serviço de Imunização da Sesau , 22,11% do públic0-alvo foi vacinado, o que representa 74,9 mil pessoas de um público estimado em 339 mil pessoas.

A maior taxa percentual de cobertura está entre os adolescentes em medidas socioeducativas, com 47,89%. No quantitativo, os idosos com 60 anos ou mais permanecem entre os que mais se vacinaram. De acordo com o relatório, aproximadamente 41,7 mil foram vacinados , sendo 31,01% do público de 134.732 pessoas nesta faixa-etária.

Na última campanha a cobertura foi muito abaixo do recomendado, que é de pelo menos 90% para cada um dos públicos. Em 2022, apenas 43,4% de todo o público-alvo buscou pela vacinação.

A vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todas as unidades de saúde da Capital protege contra os vírus H1N1 e H3N2 da Influenza A e contra a Influenza B, sendo eficaz contra as três formas diferentes de gripe.

Durante a semana, a vacinação está disponível durante todo o dia (manhã e tarde) em mais de 70 unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF).

*A doença*

A gripe é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza que é transmitida através do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar e também por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com a boca, olhos e nariz. A gripe provoca febre, dores no corpo e mal estar. Quem perceber esses sintomas deve procurar um posto de saúde.

*Prevenção*

Cuidados simples ajudam na prevenção contra a Gripe:

Lave as mãos com água e sabão e use álcool gel 70% regularmente, especialmente depois de tocar o nariz e a boca ou superfícies que possam estar contaminadas;
Proteja o nariz e a boca. Cubra-os enquanto espirra ou tosse e use lenços descartáveis.
Evite tocar a boca e o nariz.
Melhore a circulação de ar abrindo as janelas.
Evite ficar por muito tempo em locais com grande aglomeração de pessoas.
Mantenha hábitos saudáveis: coma e durma bem, além de fazer exercícios físicos regulares.

*Vacinação Covid-19*

No início do mês, a Sesau ampliou a aplicação da dose bivalente contra a Covid-19 para toda a população acima de 18 anos, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde.

A bivalente está disponível também para pessoas com comorbidades e que que tenham 12 anos ou mais, grávidas e as puérperas que deram à luz há até 45 dias, trabalhadores da saúde, população com 60 anos ou mais, indígenas aldeados e quilombolas a partir dos 12 anos de idade, para isso é necessário o esquema vacinal completo e a última dose ter sido aplicada há pelo menos quatro meses.

O reforço também está disponível para quem finalizou o esquema primário e tem pelo menos 12 anos de idade. E quem tem 18 anos ou mais e completou o mesmo período após receber o primeiro reforço, já está apto para o segundo.

Crianças a partir de seis meses se enquadram para iniciar o esquema vacinal. Aquelas iniciaram o esquema com a Pfizer baby devem receber a segunda dose após um intervalo de quatro semanas e a terceira após oito semanas da dose anterior.