23 de setembro de 2021
Campo Grande 35º 20º

OBRAS NA CAPITAL

Prefeitura foca em atos para melhorar infraestutura e habitação social

Além de garantir o asfalto de três bairros, ação "Vila da Melhor Idade" trará 40 casas com aluguel social para idosos

A- A+

Nashiville, Portal Caiobá e North Park entram na lista dos bairros que ganharão pavimentação esse ano. Além disso, a Prefeitura Municipal de Campo Grande prevê obras de infraestrutura e habitação social que contribuem diretamente para o avanço da Capital nesses quesitos em 2021. 

Através de assinatura de contrato com a Caixa Econômica Federal, busca-se a liberação de R$ 8,2 milhões para a execução de 5,5 km de pavimentação nesses três bairros. O Córrego Limpo na CG-0 40, que atende os assentamentos Conquista e Sucuri, também ganha uma ponte de concreto de 20 metros de extensão com a emenda parlamentar de R$ 1 milhão. 

Confira as ruas à serem pavimentadas, assim como o investimento previsto, em cada bairro: 

NASHIVILLE: Ruas Ademar Sobral; Maria Chinzarian; Florestan Fernandes; Hipólito Cassiano; Avenida Osmar de Andrade; José Maria de Souza; Chames Fraia; Ronald de Carvalho e Francisco Otaviano. (Previsto investimento de R$ 3.231,000,00)

PORTAL CAIOBÁ: Ruas Ilha de Marajó; Diógenes Inácio de Souza e Jerumita Maria de Souza. (Investimento de R$ 2,306 milhões)

NORTH PARK: Ruas do Boadeiro; Ushuaia; Quito; Ponta Arena; Abrolhos; Caracas; Mar Del Plana; La Paz e Bahia Branca. (Investimento de R$ 3,378 milhões).

Os recursos para essa frente de trabalho foram empenhados na Superintendência de Desenvolvimento do Centro Oeste (Sudeco) e Ministério do Desenvolvimento Regional. Outra ação, planejada com a verba do orçamento geral da União (em que são previstos R$ 8,3 milhões), garante também a pavimentação do Jardim Monte Alegre. 

Ainda em fase de elaboração, contemplará a Rua dos Gonçalves e dos Pereira, local que os moradores alegam sofrer em decorrência das fortes chuvas. Informações do portal CG Notícias revelam que, segundo o secretário Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, é nessa rua que escoa a enxurrada vinda, com areia e pedra, do Pioneiro, Jardim Morenão e Botafogo. 

HABITAÇÃO

Por sua Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (AMHASF), a Prefeitura da Cidade Morena programa a implementação de novos programas habitacionais de interesse social, com locação social para idosos e atuando na regularização jurídica, urbanística, ambiental e social pelo trabalho de georreferenciamento de áreas carentes de documentação. 

Para isso, Marquinhos Trad busca parcerias com o Governo Federal, visando a conquista de recursos para que essas moradias sociais sejam viabilizadas à população. Entre as ações da AMHASF estão ainda o sorteio de lotes sociais oferecidas à população de Campo Grande com renda familiar mensal de até R$ 1.800 (faixa 1 do Programa Minha Casa Minha Vida). 

Empreendimentos em fase final ou avançada de construção: Residencial Jardim Canguru (300 apartamentos), Aero Rancho 7 e 8 (448 apartamentos) Portal das Laranjeiras (368 apartamentos) Sírio Libanês I, II e III (256 apartamentos) e Jornalista Armando Tibana (192 apartamentos).

MELHOR IDADE

Está em fase final de licitação, para a empresa que construirá o condomínio com 40 unidades habitacionais, no modelo aluguel social. Dignidade, independência e acessibilidade são garantia para os idosos, que ficarão localizados próximo ao Horto Florestal, facilitando assim o acesso à equipamentos comunitários disponíveis e centros de saúde da cidade. Horta, capela ecumênica, biblioteca, sala de jogos, espaço para primeiros socorros e de convivência social, serão dispostos aos moradores com o intuito de fortalecer os laços comunitários entre os idosos. 

Como parte do projeto, cada bloco será diferenciado por cor (já se distinguindo dos modelos atuais), com a intenção de colaborar para a identificação de cada unidade habitacional. Esse projeto é destinado para pessoas acima de 60 anos, que tenham renda individual de até dois salários mínimos ao mês. 

Uma parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) visa que à implementação do projeto aconteça com maior velocidade, com previsão de investimentos em torno de R$ 3,5 milhões.

Em balanço das questões que englobam a habitação de interesse social, e as ações realizadas em 2020, A Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários aprovou 42 projetos de regularização para comunidades da Capital, sendo que, mais 15 estão em fase de elaboração, 30 estão em análise e mais 16 aguardam georreferenciamento.

No ano que passou a AMHASF recebeu o Prêmio Selo de Mérito da Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos da Habitação de Interesse Social (ABC Brasil), pelo projeto Ação Casa Pronta, em benefício de famílias oriundas da extinta comunidade Cidade de Deus. 

Nesse 2021 a previsão é de que a comunidade Bom Retiro, uma das quatro áreas de atuação do programa, seja completamente finalizada ainda em janeiro. Com isso, 136 famílias deixarão de morar em situação de vulnerabilidade social e, após a finalização do projeto, essa conquista estende-se também para o Jardim Canguru, José Teruel I e II e Vespasiano Martins.