23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

Professores querem cassação de Olarte por não cumprir lei

A- A+

Os professores da Reme (Rede Municipal de Ensino), decidiram há pouco durante Assembleia Geral na ACP, que continuarão com a greve. Os professores não hesitaram ao utilizar o microfone e pediram a cassação de Gilmar Olarte (PP), prefeito de Campo Grande, por não cumprir a lei municipal 5.189/2013, que estabelece integralização do piso salarial.

Na manhã de hoje, o presidente do Sindicato, professor Geraldo Gonçalves se  reuniu com o secretário de governo, Rodrigo Pimentel, que repassou à classe o "recado" do prefeito. Enquanto houver greve, Olarte se recusa a atender os professores e qualquer ofício e negociar o pagamento, além de não oferecer nenhuma contraproposta.

Aos gritos: “Professores unidos jamais serão vencidos”, a classe votou por manter a greve. Um microfone foi aberto àqueles que desejavam expor suas opiniões, e a grande maioria cogitou uma ação judicial pedindo a cassação de Olarte. Além disso, os professores vão entrar com uma ação na justiça para pedir exigir o pagamento do reajuste, que deveria ter acontecido em outubro deste ano.

Hoje,  39 escolas municipais estão totalmente paradas e 16 parcialmente, somando então 52%. Já os Ceinfs (Centros de Educação Infantil), três estão totalmente parados e cinco parcialmente. O total de escolas e Ceinfs parados totalmente e parcialmente é de 66%.

Neste momento a classe se dirige à Câmara de Vereadores, protestar pela terceira vez pelo direito do pagamento da integralização do salário, que era para ter acontecido no mês de outubro.

Tayná Biazus e Leide Laura Meneses