14 de abril de 2024
Campo Grande 24ºC

Secretário diz que áudio está fora de contexto e guarda municipal já recebeu punição

A- A+

O secretario municipal de segurança, major Luidson Borges Tenório Noleto confirmou ao MS Noticias, que  áudio divulgado em rede social, nesta sexta-feira (6), foi gravado por um guarda municipal, há pouco mais de um ano, em função da falta de acordo entre o então prefeito afastado Gilmar Olarte (PP) e guardadas municipais que à época reivindicavam reajuste salarial.

Segundo Noleto, além da divulgação do áudio ter provocado o afastamento do guarda Henrique Cezar Barbosa da corporação, também foi aberto processo para apurar a gravação. “O áudio que voltou a ser divulgado hoje está fora de contexto. Eu tive acesso a íntegra da gravação na época e está nítido que ele criticava a gestão de Gilmar Olarte, fazendo uma observação irônica. Foi um protesto sobre a questão salarial, ele até cita que iriam assaltar para comprar miojo”, explica.

De acordo com o secretário, por ter sido comprovada inocência, o processo foi arquivado, porém, Noleto afirma que está à disposição do MPE (Ministério Público Estadual) para qualquer outro procedimento. “Não vejo porque puni-lo, mas, caso o Ministério Público queira abrir processo estou à disposição”, disse.

No áudio, Henrique Cezar fala que guardas precisam se armar para começar "assaltar pessoas na rua”, defendendo armamento da corporação (leia aqui). Ele, ainda, cita como exemplo, no áudio, que guardas farão assaltos de "fardos de miojo".  Henrique Cezar Barbosa foi nomeado em 22 de setembro desse ano, ao cargo de Chefe de Assessoria I- Chefe de Gabinete, símbolo DCA-4, na Secretaria Municipal de Segurança Pública. Conforme o secretário, a gravação do áudio foi feita em 2014, mas retornou às redes sociais nesta sexta-feira, de forma editada.