22 de maio de 2024
Campo Grande 25ºC

ELEIÇÕES 2022

22 homens e 2 mulheres são eleitos (as) para deputados e deputadas em MS; veja os nomes

Em 2018 Mato Grosso do Sul não havia eleito nenhuma mulher

A- A+

Mato Grosso do Sul elegeu neste domingo (2.out.22) 24 deputados e deputadas que farão mandato de 1º de janeiro de 2023 até 2026, perfazendo 4 anos.  

Entre 22 homens, Mara Caseiro (PSDB), foi reeleita em 1º colocação, tendo conquistado mais de 49,5 mil votos. Além dela, terá como colega de bancada a vereadora de dourados licenciada, Lia Nogueira, da mesma legenda, que foi eleita com mais de 15,1 mil votos. 

Em 2018, Mato Grosso do Sul não havia eleito nenhuma mulher, inclusive, na época, Mara ficou como suplente. Ela só retornou ao Palácio Guaicurus em 2020, após a morte de Onevan de Matos (PSDB), vítima da Covid-19.  

Sete atuais deputados na conseguiram reeleição, a renovação foi de 29,17%. Alguns nomes são conhecidos do eleitor, enquanto outros obtiveram a primeira vitória nas urnas. Veja lista de deputados estaduais eleitos, com seus votos e percentuais dentro da legenda:  

  1. Mara Caseiro (PSDB)  Votos: 49.509 - percentual: 3,48%
  1. Paulo Corrêa (PSDB)  Votos: 49.172 - percentual: 3,46%
  1. Zeca do PT (PSDB) Votos: 47.160 - percentual: 3,31%
  1. Jamilson Name (PSDB) Votos: 43.435 - percentual: 3,05%
  1. Zé Teixeira (PSDB) — Votos: 39.319 - percentual: 2,76%
  1. Lidio Lopes (PATRIOTA) — Votos: 31.410 - percentual: 2,28%
  1. Caravina (PSDB) — Votos: 31.952 - percentual: 2,25%
  1. Coronel David (PL) — Votos: 31.478 - percentual: 2,21% 
  1. Pedro Kemp (PT) — Votos: 27.900 - percentual: 1,96%
  1. Lucas de Lima (PDT) Votos: 26.575 - percentual: 1,87%
  1. Junior Mochi (MDB) — Votos: 26.107 - percentual: 1,83%
  1. João Henrique (PL) — Votos: 25.913 - percentual: 1,82%
  1. Gerson Claro (PP) — Votos: 25.839 - percentual: 25.839
  1. Londres Machado (PP) — Votos: 25.689 - percentual: 1,81%
  1. Antonio Vaz (REPUBLICANOS) — Votos: 19.395 - percentual: 1,36%
  1. Tiago Vargas (PSD) 18.288 - pecentual: 1,29%
  1. Rafael Tavares (PRTB) — 18.225 - 1,28%
  1. Renato Câmara (MDB) — 17.743 - 1,25%
  1. Amarildo Cruz (PT) 17.248 - 1,21%
  1. Neno Razuk (PL) 17.016 - 1,20%
  1. Marcio Fernandes (MDB) 16.103 - 1,13%

    22. Lia Nogueira (PSDB)  15.155 - 1,06%

  1. Roberto Hashioka (UNIÃO BRASIL) 13.661 - 0,96%
  1. Professor Rinaldo Modesto (PODEMOS) 12.796 - 0,90%

QUANDO SÃO EMPOSSADOS?  

De acordo com o Código Eleitoral, os eleitos, assim como os suplentes, passam pela diplomação, um ato formal da Justiça Eleitoral em que é entregue um diploma assinado pelo presidente do Tribunal Superior, do Tribunal Regional ou da junta eleitoral, que atesta que o (a) eleito (a) pelo povo, está apto (a) a tomar posse no cargo e exercer o mandato. Na ocasião, marcada pelo TRE-MS para as 19h, do dia 19 de dezembro no Ondara Palace, também serão diplomados os deputados federais, senadores, governador e vice-governador eleitos.

Em cumprimento ao Regimento Interno da ALEMS, no dia primeiro de janeiro de 2023, os atuais deputados estaduais dão posse ao governador e vice-governador do Estado, ainda a definir em eleições no segundo turno. A Gerência de Cerimonial da ALEMS informou que o evento ocorrerá na sede do Parlamento, no Palácio Guaicurus, às 15h.

Já para a instalação da nova 12ª Legislatura, seguindo o Regimento, os deputados estaduais se reúnem na Assembleia Legislativa, às 9h do dia 1º de fevereiro, com uma sessão preparatória, independentemente de convocação, e elegem a nova Mesa Diretora que dirigirá os trabalhos nas duas Sessões Legislativas sequentes (2023 e 2024). Na ocasião, os diplomas são recolhidos pela presidência e, em seguida, é tomado o compromisso legal dos 24 deputados.

Às 9h do dia 2 de fevereiro, com cunho solene e festivo, são abertos os trabalhos na Assembleia Legislativa pela nova Mesa Diretora, também como preconiza o Regimento. É facultado ao presidente solicitar nesse dia as indicações das bancadas para as respectivas lideranças, assim como solicitar às lideranças partidárias a indicação dos nomes dos deputados para integrarem as Comissões Técnicas Permanentes.