21 de junho de 2021
Campo Grande 28º 13º

Tapa Buraco

Alex do PT afirma que CPI é possível se houver omissão de informações

Se o secretário Valtemir Brito não for convincente ou informações forem omitidas, oposição ganha força para pedir a instauração de uma CPI do Tapa Buracos

A- A+

Em relação a um esvaziamento do pedido de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Tapa Buracos, a partir da audiência pública que antes mesmo de ser solicitada pela Câmara foi articulada pelo líder do prefeito, vereador Edil Albuquerque, que confirmou a presença do secretário de Administração Valtemir Brito, o Kako, homem forte do prefeito Gilmar Olarte (PP), para prestar esclarecimentos sobre as denúncias divulgadas nacionalmente pela imprensa, o vereador Alex do PT, um dos que assinou o requerimento proposto pela vereadora Luiza Ribeiro (PPS), acredita que não esvazia ou invalida uma futura instauração da CPI.

“Nós assinamos o requerimento, mas a partir das ponderações do vereador Chiquinho Telles, e da presteza do líder do prefeito, Edil Albuquerque, em garantir a presença do secretário de Administração, acredito ser válida essa etapa. Essa audiência não invalidada ou impede, caso os esclarecimentos não sejam convincentes ou informações sejam omitidas, que a Casa se mobilize pela instauração da CPI que, evidente, não se restringe apenas a uma empresa, um funcionário ou ao tapa-buracos”, disse o vereador Alex.

Descontentamento

Em relação ao ambiente francamente desfavorável ao prefeito, Alex disse que neste seu recente retorno à Casa, percebeu um nítido descontentamento de boa parte dos vereadores, antes apoiadores quase incondicionais, que reclamavam especialmente da falta de interlocução entre o Executivo e o Legislativo. No entanto, não vê uma movimentação que tenda a desembocar num pedido de cassação, como ocorreu durante o período da gestão de Alcides Bernal. “Eu não vejo a coisa sendo construída para esse caminho. Não vejo dentro da Câmara uma sinalização pelo afastamento”, enfatizou o vereador.