16 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 22º

Azambuja discorda que haja semelhanças entre projetos do PSDB e PMDB

O deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) discorda que haja semelhanças entre os projetos do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) e do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) apontadas pelo pré-candidato ao governo, ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB). “Acho que não tem semelhança nenhuma, até porque o PMDB tem o governo, está com a máquina para implementar o projeto” , declarou.

Apesar de não descartar uma aliança entre os dois partidos, Azambuja ainda faz uma crítica ao governo de André Puccinelli (PMDB). “Para parecer com a proposta que estamos defendendo, o PMDB tem que reciclar algumas coisas que deixou a desejar para a população de Mato Grosso do Sul. Não somos inimigos, estivemos em lados opostos na eleição municipal, mas nada impede a aliança. Mas o partido tem que aceitar melhorar a saúde que está um caos, a segurança pública que não está bem, a educação que precisa de investimento. Diálogo sempre tem”.

Quanto à informação veiculada na imprensa de que o senador Moka (PMDB) teria afirmado que o PMDB pode abrir mão da candidatura ao senado para favorecer as alianças com outros partidos como o PSDB, Azambuja respondeu que ainda há tempo para um acerto entre tucanos e peemedebistas.

“Ele não nos procurou para propor essa abertura de vaga ao senado, mas tempo dá. As convenções serão só em junho, mas não tem nada de concreto. Acho que é legitimo pleitear ter a vice-governadora (Simone Tebet, PMDB) ao senado, agora ninguém faz eleição sozinho. Se quiser ter aliado é preciso abrir espaço”, acrescentou.

Além disso, o deputado federal demonstra que está mais afinado com o PT (Partido dos Trabalhadores) e garante que o presidenciável Aécio Neves (PSDB) está totalmente “tranquilo” com a possibilidade da aliança, mesmo estando em lados opostos em âmbito nacional. “Eu e o Delcídio (do Amaral, senador petista) temos conversado todas as semanas. No sábado estivemos juntos e vamos conversar hoje à tarde”, finalizou.

O outro lado – A aliança entre tucanos e petistas também possui o apoio do diretório nacional do PT. O presidente estadual da sigla, Paulo Duarte, esteve com o presidente do diretório nacional, Ruy Falcão, na manhã de hoje e reafirmou que o Estado tem autonomia para definir as alianças partidárias em Mato Grosso do Sul.

Diana Christie