19 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Azambuja quer investir para alavancar turismo no Estado

A- A+

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), visitou na manhã de hoje a Fundtur (Fundação de Turismo) e conversou com os funcionários sobre como serão os trabalhos em sua gestão. Uma das prioridades é o tratamento com os turistas e a infraestrutura.

“Tem que ter gestão e planejamento, pois o turista quer ser bem tratado e nos temos que ter infraestrutura, além de planejar para que haja uma mudança no eixo do turismo no Estado, que tem  outras belezas que  também devem ser conhecidas”, disse o tucano.

De acordo com Reinaldo, a escolha do ex-prefeito de Porto Murtinho, Nelson Sintra, para coordenar a pasta é devido ao trabalho realizado por ele no município. O tucano disse que diversas cidades no país sobrevivem apenas do turismo e que, com os bons servidores que o Mato Grosso do Sul possui, o setor terá que alavancar, além do cumprimento de metas, de acordo com os programas planejados.

Conforme a fala de Azambuja, as dificuldades financeiras também atingiram o turismo, e que por esse motivo, os funcionários devem fazer elaboração de projetos para ver quais são as prioridades, e assim, começar a executa-las. O governador lembrou que o seu governo está em fase de planejamento, que acontece nos primeiros 120 dias, e que irá trabalhar para que, mesmo com a redução dos custos, mais turistas venham ao Mato Grosso do Sul. “Nós vamos organizar para dentro do Estado, com o intuito de prestar bons serviços para fora dele. Nós ainda não conseguimos criar um turismo de contemplação no pantanal e nos precisamos fazer isso”, avaliou.

Além disso, foi dito também que, dentro dos 13 primeiros dias de governo, pode-se perceber que o Estado está desorganizado, e exemplificou que, ao pedir um relatório, este demorou cinco horas para ficar pronto, sendo que o diagnóstico deveria sair em tempo real, tudo isso, devido ao “sistema arcaico”.

Ao finalizar, o chefe do executivo estadual lembrou que nos últimos três meses, mais de R$ 30 milhões foram gastos em propagandas variadas, dinheiro que poderia ter sido utilizado  em propagandas para o turismo. “Precisamos contratar melhor para baratear os custos e economizar. Essa será uma gestão eficiente e moderna, vamos trabalhar com eficiência e governar com gestão e planejamento”.

Tayná Biazus e Leide Laura Meneses