13 de junho de 2024
Campo Grande 23ºC

Bancada do PT ainda não decidiu qual nome vai apoiar para presidência da AL

A- A+

O PT (Partido dos Trabalhadores), de Mato Grosso do Sul, ainda não decidiu qual dos quatro nomes vai apoiar para a presidência da Assembleia Legislativa. Para complicar o cenário de conversações, outras quatro manifestações de candidaturas, além de Junior Mochi (PMDB), que seria o mais articulado, fluem nos corredores nomes como o de Onevan de Matos e Flávio Kayatt, do PSDB; Mara Caseiro, do PTdoB; e Paulo Corrêa, do PR.

Segundo o deputado Amarildo Cruz (PT), o partido ainda não decidiu qual candidato irá apoiar, porém garantiu que o PT quer a primeira secretaria. “Nós vamos continuar depois do ano novo o processo de conversação que nós estamos fazendo com todos os pretensos candidatos. A nossa bancada tem uma posição muito clara de votar os quatro juntos. E agora depois desse período que vai ser a afirmação de alguns compromissos que nós queremos que o próximo presidente tenha e nós vamos pleitear a primeira secretaria”, afirmou Amarildo.

O deputado ainda explica que pleitear a primeira secretaria é um direito que o PT tem, pois é a segunda maior bancada dentro da assembleia em número de deputados. Amarildo disse que como estamos em período de festas, as negociações só devem começar a se desenhar a partir da segunda quinzena do mês de janeiro. “Só vai clarear mesmo lá depois do dia 10 ou 15 de janeiro”.

Questionado se o PT não vai entrar na disputa pela presidência da casa, Amarildo reafirmou que o interesse da bancada é a primeira secretaria. “Nós estamos tentando ver se conseguimos alguém, porque nós queremos a primeira secretaria. Se nós tivermos uma candidatura que mostre o perfil diferente, com capacidade de cumprir os compromissos, de dar mais transparência e com uma relação mais forte com a sociedade, que é o que a gente quer, e a gente acha que precisa fazer muita mudança dentro da assembleia, nós podemos compor essa chapa. Qualquer um dos quatro candidatos estão habilitados para isso. Nós temos ponderações, mas nos sentimos representados por qualquer um dos quatro que venha a ocupar o espaço”, finalizou.

Leide Laura Meneses