16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

Bernal usa lado "místico" sobre exonerações no CRAs e diz que “é preciso reenergizar o ambiente”

A exoneração dos 16 comissionados ligados a Secretaria Municipal de Polícias e Ações Sociais e Cidadania de Campo Grande provocou um clima de tensão entre vereadores da Câmara Municipal, que manifestaram-se contra à atitude da titular da pasta, Marcela Rodrigues Carneiro.

Durante evento de assinatura de convênios, nesta sexta-feira (6) o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) rebateu as críticas dos vereadores e disse que não se importa com os xingamentos e preferiu minimizar polêmicas sobre sua gestão. 

“Nós simplesmente estamos valorizando os efetivos e essa medida foi planejada. Precisamos “reenergizar”, renovar o ambiente e qualificar os efetivos. Tem pessoas que estão lá há muitos anos, conhecem o sistema de maneira tranquila. Não estamos buscando apadrinhados políticos, queremos qualidade do ponto de vista técnico e social. Estou sabendo que houve problemas na Câmara, não vejo nenhum problema nisso, houve uma reação negativa e agressiva de alguns vereadores, usando até termos “chulos” mas não vamos nos deixar levar por provocações e vamos responder as críticas a administração pública com trabalho”, afirmou o prefeito. 

Na quinta-feira (5) os vereadores Chuiquinho Telles (PSD), Paulo Siufi (PMDB), Thais Helena (PT), Flávio Cesar (PT do B) e Alex do PT, foram taxativos ao descredenciar as demissões dos comissionados, publicadas no Diogrande (Diário Oficial do Município).

Questionada pela reportagem do MS Noticias, a secretária informou que não houve perseguição e que a decisão foi tomada como forma de potencializar os serviços de efetivos que desempenham função de técnicos na pasta. “Optei por um novo perfil técnico, para oxigenar os trabalhos. Muitos desses que foram exonerados são apadrinhados e não estavam respondendo a função, alguns tinham até problemas com sindicâncias”, explica.