GEO AND DEVICES - POR TERO QUEIROZ

MS Notícias

tera, 02 de junho de 2020

AMISTOSO

Bolsonaro pede paz em dia que STF soltará vídeo de acusações de Moro

Prometeu dinheiro do socorro aos estados e municípios

Por: TERO QUEIROZ22/05/2020 às 07:18
ComentarCompartilhar
Foto: Reprodução/Divulgação

"Água para o vinho", assim ocorreu ao presidente Jair Bolsonaro que procurou enfim parlamentares e governadores pedindo trégua. “Quero exaltar a forma com que essa reunião está sendo conduzida”, afirmou o governador paulista João Doria, durante a teleconferência. Bolsonaro apelou em reunião na 5ªfeira (21.maio) apoio para manter no Congresso os vetos a reajustes dos funcionários públicos. “A cota de sacrifício dos servidores, pela proposta que está aqui, é não ter reajuste até 31 de dezembro do ano que vem”, solicitou o chefe do Executivo. Mas, Bolsonaro está sob pressão de criar 'notícias boas', e não à toa — o decano do Supremo, ministro Celso de Mello, decide até às 17h desta 6ªfeira (22.maio) se levanta o sigilo na íntegra ou parcialmente do vídeo que registra a reunião ministerial na qual sobraram palavrões, ofensas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e à China, e principalmente ameaça de intervenção na Polícia Federal. Segundo testemunho de quem assistiu, o presidente queria proteger filhos e um amigo. 

A trégua veio, mas para isso Bolsonaro teria que ajudar os estados e municípios, e disse que o faria, após apelo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. “A união de todos no enfrentamento à crise vai criar com certeza as condições para que no segundo momento possamos tratar do pós-pandemia da recuperação econômica, da recuperação dos empregos.” 

 “ O ministro da Fazenda, Paulo Guedes, disse ter sentimento de alívio com o resultado da reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e governadores. ‘Nossa democracia é barulhenta, mas é virtuosa. E faz as entregas necessárias’, disse o ministro, numa referência aos conflitos que marcam a relação entre os poderes. Para ele, na hora necessária, todos convergiram. ‘Parecia que o presidente Bolsonaro era só economia e que os governadores eram só saúde. Agora, está todo mundo junto’, disse o ministro a respeito do aval dos governadores ao veto presidencial à possibilidade de aumento dos servidores públicos. 

 Mas a pressão por volta às ruas, ao trabalho cotidiano, se manteve. Após reunião pessoal com o presidente, no Planalto, o prefeito carioca Marcello Crivella saiu falando em reabrir a cidade. O pedido lhe foi feito pelo próprio Bolsonaro. Crivella foi ao encontro precisando de ajuda. Não tem em caixa os R$ 1,1 bilhão necessários para pagar o funcionalismo público municipal este mês, informa Berenice Seara, do Extra. 

A ofensiva política em busca de base que o sustente tem frentes por todo lado. Ao todo, os cargos oferecidos pelo Planalto a PP, PL, Republicanos e PSD — o Centrão — somam um orçamento de R$ 86 bilhões. Só o Fundo Nacional de Desenvolgimento da Educação, do MEC, tem em caixa R$ 54 bilhões. Além do conhecido sul-mato-grossense Carlos Marun, ao menos outros 6 indicados políticos já ganharam cargos no governo bolsonarista. Juntos, os indicados custarão R$ 162 mil por mês aos cofres públicos, todos eles receberão salários de R$ 27 mil ao mês. Veja aqui os nomes.

*Com Meio.  

 

Deixe seu Comentário

TV MS

15 de maio de 2020
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial
Ministério da Cidadania fala sobre auxílio emergencial

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua referência em jornalismo no Mato Grosso do SulRua José Barnabé de Mesquita, 948
CEP 79100.200 - Vila Duque de Caxias
Campo Grande/MS
 (67) 99309.8172

Editorias

Institucional

Mídias Sociais

© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma