22 de junho de 2021
Campo Grande 28º 16º

Câmara da Capital inicia 2015 mais independente do executivo

A- A+

O prefeito de Campo Grande Gilmar Olarte (PP) começou 2015 com problemas graves decorrentes de denúncias sobre irregularidades praticadas por empresas como a Selco Engenharia que aplicou massa asfáltica em buracos inexistentes na Capital.

Juntando esse a outros problemas como crise com professores, aumento de IPTU e da tarifa do transporte público, muitos vereadores resolveram se manter independentes do governo. A bancada do PT do B, se diz da base, mas deixa claro que fará fiscalização rigorosa e não vai dizer amém para tudo que vier do executivo. Já o vereador Chiquinho Telles do PSD, que era da base de Olarte, já se declarou independente.

Até mesmo vereadores do PMDB fizeram questão de dizer hoje durante sessão solene de abertura do trabalho legislativo que são da base, mas estão de olho no prefeito. Outro assunto lembrado hoje por vereadores foram as decisões de Olarte que beneficiaram segmentos religiosos como a manutenção da "Quinta Gospel", como lembrou Carlão (PSB).

Já o presidente da Casa, vereador Mário César (PMDB) declarou que a Câmara trabalhará incansavelmente como fiscalizadora do executivo. "Não existe democracia sem Poder Legislativo. Mas só haverá um Legislativo forte se ele for capaz, juntamente com o Poder Executivo, de responder rapidamente às expectativas de uma sociedade cada dia mais exigente, que cobra dos seus representantes respostas seguras, conscientes, inteligentes e mais do que isso, imediatas”, disse Mário. 

Olarte tem tentado conversar com vereadores e articular um resgate da união entre legislativo e executivo, mas ao que tudo indica os parlamentares estão resistentes.