16 de setembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

Movimentação das contas

Câmara 'presta contas' ao Gaeco com finanças na época da cassação de Bernal

A- A+

A pedido do Gaeco, (Grupo de atuação especial e combate ao crime organizado), a Câmara Municipal deve entregar hoje (25) um relatório de pagamentos que foram feitos aos 29 vereadores no período em que o prefeito Alcides Bernal (PP) foi cassado. A margem é referente ao período de junho de 2013 a dezembro de 2014, incluindo todos os valores, não somente os salários dos legisladores. 

Na ocasião, também deve ser mandado relatórios não somente dos vereadores que estão hoje, mas sim os que exerceram mandato naquela época. A vice-governadora Rose Modesto (PSDB, que era vereadora na época), Zeca do PT, (antes vereador e hoje deputado federal), Grazielle Machado (hoje deputada estadual do PR), Paulo Pedra (vereador licenciado e hoje secretário de Governo de Bernal do PDT), Juliana Zorzo e Alceu Bueno (sem partido e que renunciou ao mandato após envolvimento com adolescente em rede de exploração sexual). 

O objetivo é analisar os dados e verificar se ocorreram vantagens financeiras em troca do voto favorável a cassação de Bernal. Outra situação também investigada é a troca de cargos e outras vantagens oferecidas em troca do voto. Coincidência ou não, Bernal foi cassado em 2014 com 23 votos a favor e apenas 6 contra sua saída. 

Com as investigações, a Câmara Municipal criou a Comissão de Ética para apurar quebra de decoro de vereadores por suposto esquema para cassar Bernal. A Comissão de Ética é presidida por João Rocha (PSDB) e tem como membros, Chiquinho Telles, vice-presidente (PSD), Herculano Borges (SD), Ayrton de Araújo (PT) e Vanderlei Cabeludo (PMDB). São investigados os vereadores Mario Cesar , afastado do cargo de presidente da Casa, Edil Albuquerque, ex-líder do prefeito afastado Gilmar Olarte, e Paulo Siufi, todos do PMDB; Airton Saraiva (DEM); Chocolate (PP); Gilmar da Cruz (PRB); Edson Shimabukuru (PTB); Carlão (PSB); e Jamal Salém (PR), ex-secretário de Saúde do Município, que retornou à Câmara após o afastamento do prefeito.