17 de abril de 2024
Campo Grande 21ºC

PT NA SUCESSÃO

Decisão vai sair de debate democrático, defendem Vander e Zeca  

Até à convenção, o partido vai debater a construção de uma chapa que ofereça a melhor possibilidade

A- A+

O Partido dos Trabalhadores vai disputar as eleições municipais no País levando em conta, acima de tudo, seus maiores projetos: fortalecer e ampliar as bases do regime democrático, com a promoção da justiça social e econômica para toda a população brasileira.

Esta é a diretriz nacional que o partido está seguindo e não será diferente nas eleições em Campo Grande, segundo afirmam o deputado federal Vander Loubet, coordenador da bancada em Brasília, e o deputado estadual Zeca do PT. Com a proximidade das convenções e já entrando no período de pré-campanha, o partido começa  a definir sua estratégia para fazer a disputa na Capital sul mato-grossense.

O PT lançou oficioalmente a pré-candidatura da deputada federal Camila Jara à prefeitura, com apoio de toda militância. No entanto, até à convenção, o partido vai debater a construção de uma chapa que ofereça a melhor possibilidade de fazer o projeto maior avançar com a mais ampla participação da sociedade, não somente num eixo eleitoral ocupado pela esquerda.

PONDERAÇÃO

Sem contrariar a legitimidade da pré-candidatura de Camila nem a autoridade da direção partidária, Vander e Zeca fazem uma ponderação. Entendem que a definição da chapa e da estratégia política e eleitoral do partido precisa ser amadurecida mediante um debate interno, democrático e propositivo, "como é da cultura e dos estatutos do partido".

 É a partir desse processo de discussão ampla que os dois consideram ser possível encontrar o caminho das melhores decisões — não apenas quanto à competitividade eleitoral e à unidade partidária, mas ajustá-las ao objetivo maior, que é proteger e fortalecer a democracia.

"Precisamos reconhecer que só o PT e as esquerdas não garantem o regime democrático. É necessário ter outras forças neste campo, a eleição presidencial mostrou isto. A sociedade é muito mais ampla, e quanto maior for o conjunto de forças neste processo, a democracia estará bem guardada", pontua Vander Loubet.

No final da tarde de domingo, os dois deputados emitiram o seguinte comunicado:

NOTA SOBRE A CANDIDATURA DO PT À PREFEITURA DE CAMPO GRANDE

 Todas as decisões sobre os passos do PT na política e nas suas relações com a sociedade sempre foram e serão decididas mediante amplo e democrático processo interno de debate.

Este é o regimento, esta é a cultura dos nossos 44 anos de história. E não será diferente no processo eleitoral que começamos a viver. Temos um projeto maior, que não se esgotou na disputa presidencial de 2022 e não se esgotará nas eleições municipais deste ano.

É preciso criar condições concretas para garantir a afirmação dos objetivos maiores, que são fortalecer a democracia e promover justiça social e econômica. Essa garantia não é monopólio do PT, bem como das esquerdas, mas de todo o campo que se opõe ou passa a se opor à negação da democracia.

Apesar de a Executiva Municipal do PT, ou de parte dela, tomar a iniciativa de convocar, intempestivamente, uma coletiva com a imprensa, nomeando as lideranças com mandato que estarão presentes e excluindo os não nominados que também têm mandato popular, não há que se falar em divisão interna. Trata-se de um processo natural de construção da nossa unidade interna. Pensamos e propomos caminhos diferentes.

É legítimo debatermos e decidiremos no momento e no fórum próprios. No caso, o Encontro Municipal Eleitoral que a Direção já deveria ter marcado, mas não o fez. Tudo isso é da história e da essência do PT.
É legítima a decisão do Diretório Municipal em apontar, articular e defender a candidatura própria do PT. Não questionamos. E muito menos temos qualquer questionamento à legitimidade da pré-candidata apontada pelo Diretório, a companheira deputada federal Camila Jara, a quem reconhecemos como jovem liderança de grande importância.

A questão, para nós, é outra: a candidatura própria é o único e/ou o melhor caminho para o PT de Campo Grande nas eleições de 2024? Qual é o centro político da estratégia de candidatura própria que a sustente como a melhor escolha para que o PT cumpra o seu papel e tarefa fundamentais: ampliar os espaços de sustentabilidade do governo Lula?

Nosso melhor destino é a unidade. E o centro dessa unidade é a sustentação política do nosso projeto, hoje no poder com o governo Lula.

Portanto, reafirmamos que para construir a unidade do PT, política e eleitoral, é necessário um amplo e democrático debate, para que se discuta a melhor alternativa de encaminhamento com relação à participação do nosso partido nas eleições de 2024 na Capital e no estado.


 Vander Loubet                                                        Zeca do PT
Deputado Federal                                       Deputado Estadual