11 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

Defesa de Olarte tenta colocar promotor do Gaeco como testemunha, mas sofre nova derrota

O ex-prefeito afastado de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP afastado por liminar), o ex-assessor Ronan Edson Feitosa de Lima, Luiz Márcio dos Santos Feliciano e 29 testemunhas serão ouvidos na próxima sexta-feira (27) pelo desembargador Luiz Cláudio Bonassini da Silva, dando continuidade as oitivas que investigam atos de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Com as oitivas próximas, a defesa de Olarte tentou relacionar como sua testemunha de defesa, o promotor Marcos Alex Vera de Oliveira, coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), no processo em que é acusado de corrupção passiva, pedido este que foi negado pelo desembargador Romero Osne Dias Lopes (relator revisor da seção criminal do Tribunal de Justiça). 

Como manobra, os advogados de Olarte também solicitaram o bloqueio de participação de audiência de instrução e julgamento de Marcos Alex, que liderou as investigações que resultaram o afastamento do ex-prefeito afastado.


Diferente da negativa de Olarte, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul atendeu em partes, o pedido da vice-governadora Rose Modesto (PSDB), que estava relacionada como testemunha de Gilmar Olarte e pediu para depor sozinha e na Secretaria de Assistência Social no dia 30 de novembro. Neste caso, somente o local foi modificado e será no plenário criminal do Tribunal de Justiça em 2016. 

Na lista de testemunhas estão o ex-governador André Puccinelli (PMDB), o presidente afastado da Câmara Municipal vereador Mario Cesar (PMDB), o atual prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP), o ex-prefeito Nelson Trad Filho (PTB), o ex-secretário de Governo na gestão Olarte e Rodrigo Gonçalves Pimentel.