27 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

MEIO AMBIENTE

Deputado quer Comissão sobre lavoura indiscriminada em MS: 'Não vou me omitir!'

Mortandade de peixes pode estar conectada a explosão de venenos em plantios

A- A+

O deputado estadual Zeca do PT quer uma Comissão na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (Alems) para apurar a mortandade de peixes nos rios do estado. O parlamentar acredita que as mortes podem estar sendo causadas por veneno de plantações indiscriminadas. “Se for preciso eu vou propor [uma CPI]. Primeiro, eu vou propor uma Comissão que participe o Ministério Público, a Assembleia Legislativa, o Ibama, o Imasul e a Polícia Ambiental. Para a gente levantar isso tudo. As denúncias acerca do Rio Santo Antônio lá em Guia Lopes, que cai no Miranda. As denúncias do Miranda, agora começou a morrer peixe, está morrendo peixe lá. Isso vem de cima, é veneno, claro que é!", disse Zeca.  

Conforme o petista, desmatamento, poluição e assoreamento de rios estão causando cenas de horror em pontos turísticos do estado. "As denúncias dos rios de água calcária de Bonito e Bodoquena, é um horror, um horror! Ou seja, nós não podemos nos omitir nisso. Quero criar uma Comissão, fazer uma análise dessa água, se porventura tem veneno nela ou não tem. Não quero fazer uma denúncia vazia", garantiu.

Zeca disse que o trabalho da Comissão é analisar quais caminhos existem para fazer a contenção de enxurrada das lavouras, para que elas não caiam nos rios. "Se está respeitando os 20, 30, 50 metros de mata ciliar. Se está sendo feita a curva de nível para a enxurrada não ir para dentro do rio levando isso tudo. Se estão sendo feitas as bacias de contenção para água parar ali, ao invés de ir para o rio. São coisas importantes", pontuou.

De acordo com Zeca, esse grupo deverá observar como estão sendo realizados esses plantios no estado. "Se está sendo feito o plantio direto. Ou seja, será que estão aplicando as técnicas corretas, modernas de plantio? Eu não sou contra o plantio, agora, não dá envenenar todos os nossos rios e a gente se omitir. Eu sou deputado, meu papel é esse”, argumentou.  

O deputado afirmou que, diante da gravidade do problema, pode fazer uma denúncia nacional, se nada for feito para combater o crime ambiental. ''Não tem quem me pare. É uma vergonha o que está acontecendo em Bonito, em Bodoquena, Serra da Bodoquena. Desmatamento desenfreado, não respeitando o limite legal para plantio. Grade pesada para plantar lavoura, sem curva de nível, sem caixa de contenção de água de chuva. Isso, consequentemente, leva tudo para dentro dos rios'', apontou.  

A entrada indiscriminada de veneno, principalmente na fronteira, para o deputado está diretamente conectado com a situação horrível de mortes em MS. “Veneno indiscriminado, muitos entrando pelo Paraguai, sem nenhum controle, desde o governo anterior, na época da Tereza Cristina”, ressaltou.

Ao MS Notícias, Zeca disse que tudo indica que plantios indiscriminados estão relacionados a devastação da fauna nos rios. “Qual pode ser a outra razão, se anteriormente a isso não se tinha esses desastres de ordem ambiental, na dimensão do que tem acontecido? Alguma coisa de diferença tem... Todos os indicativos das pessoas que moram na região falam de desmate, de assoreamento, falam de veneno jogado de avião que mata abelhas, que mata cultivos e que mata peixes nos rios”, denunciou.  

“Dependendo do resultado desta primeira investigação, vou propor uma CPI, para gente poder estudar os crimes ambientais, fruto do crescimento indiscriminado da lavoura, má utilização das técnicas de plantio, e responsabilizar aqueles que estão fazendo isso de maneira inconsequente”, concluiu.

Uma equipe especial de reportagem do MS Notícias tem feito levantamento e análise de documentos para rastrear quais são as propriedades adquiridas nos últimos anos às margens dos Rios nos municípios citados por Zeca. O levantamento dever revelar quem são os produtores que tem feito plantios de soja de maneira indiscriminada próximo a Áreas de Proteção Ambiental (Apas).