21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

CPI quer investigar denúncais sobre formação de cartel decombustíveis na Capital

A- A+

Integrantes da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Combustíveis reúnem-se nesta quarta-feira (2), a partir das 14h, no Plenário Júlio Maia para discutirem sobre o pedido de documentação que deverá se encaminhado às refinarias, bem como distribuidoras e revendedores de combustíveis. Esta  é a segunda vez que o grupo se reúne.

De acordo com presidente da Comissão, deputado estadual José Carlos Barbosa (PSB), Barbosinha, a CPI resultou da audiência pública, ocorrida em setembro, que debateu à época divergências constatadas nos preços  repassados pelas distribuidoras e postos de combustíveis. Conforme deputado, os valores foram desiguais tanto no interior do Estado quanto na Capital. “A variação não é justificável pelo frete. Queremos apurar se estão tabelando o preço. Muitas informações são protegidas pelo sigilo fiscal que pode agora ser quebrado pela CPI”, informa.

Segundo Barbosinha, durante as oitivas serão apuradas eventuais irregularidades nos valores repassados tanto na distribuição como comercialização de combustíveis em Mato Grosso do Sul. De acordo com presidente da CPI, a intenção também é apurar ainda denúncias de supostas formações de cartel em alguns municípios e de dumping (venda abaixo do preço de custo) em Campo Grande.

A CPI é composta pelos deputados João Grandão (PT), vice presidente; Maurício Picarelli (PMDB), relator; Angelo Guerreiro (PSDB) e Beto Pereira (PDT).  São suplentes a deputada Antonieta Amorim (PMDB) e os deputados Amarildo Cruz (PT), Flavio Kayatt (PSDB), Felipe Orro (PDT) e George Takimoto.