19 de maio de 2024
Campo Grande 17ºC

Em Aty Guasu, Mandetta propõe solução para pôr fim aos conflitos de terra

A- A+

O candidato ao Senado Luiz Henrique Mandetta esteve neste sábado (27) na Grande Assembleia do povo Guarani e Kaiowá (Aty Guasu), em Dourados. 

Ele defendeu um marco legal para solucionar os conflitos por terra, envolvendo produtores rurais e indígenas em Mato Grosso do Sul. “Quando é para a reforma agrária, a União compra, a pessoa se muda e eles dividem os lotes. São milhões de hectares de terra. Quando a gente chega na questão indígena, às vezes estamos falando de até 10 mil hectares. Em termos de custo para a União não é nada”, afirmou o candidato ao Senado pelo União Brasil.


Questionado pelas lideranças sobre a questão do marco temporal, Mandetta lembrou sua atuação na Câmara dos Deputados. “Acompanho essa questão há muito tempo. Não importa se o erro é da União ou do Estado. Deve-se indenizar”, disse.

 
Para Mandetta, o marco temporal deve ser revisado e levar em consideração a situação de cada estado brasileiro. “Não é uma receita. Em Mato Grosso do Sul, a nossa história, os nossos povos originários e a ocupação são únicos e devem ser tratados dessa forma”, explicou.


O candidato ao Senado também falou sobre o desafio para reduzir a mortalidade infantil entre os bebês indígenas. “Enquanto na cidade o índice é em torno de 10 mortes antes de completarem um ano, entre os povos indígenas pode chegar a 80 óbitos. É preciso trabalhar de uma maneira diferente, respeitando a cultura, a mãe indígena, garantindo o aleitamento materno e o acesso aos preventivos”, defendeu.