07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

'GUERRA EM 51 DIAS'

Eminente guerra na fronteira entre Brasil e Venezuela pode ter início no sábado

Governo esconde o estado de guerra com país vizinho

Após o anúncio do governo de Bolsonaro, à 'ajuda humanitária' aos venezuelanos, proposta pelos governos Trump e pelo chefe do executivo federal da Colômbia, Iván Duque Márquez, a reação de Nicolás Maduro, foi mobilizar tanques de guerra à fronteira da Venezuela com o Brasil, nesta quarta-feira (20).  

A tríplice, Brasil, Estados Unidos e Colômbia atendem o pedido feito pelo presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino do país. O início das operações dos EUA, Brasil e Colômbia está previsto para o este sábado (23), no entanto não será fácil a travessia.  

Com a posição de Bolsonaro, funcionários da guerrilha brasileira tem menos de três dias em Brasília, para organizar o envio de medicamentos e alimentos à cidade de Boa Vista, em Roraima, doados pelos governos do Brasil e dos Estados Unidos, segundo informação de O Globo.

Apesar de Bolsonaro dizer que os militares não irão participar da ação, uma fonte declarou o contrário a O Globo: "o que os militares brasileiros estão fazendo é trabalhar na contra-inteligência".

"Esse trabalho implica estar monitorando cada passo dado pelo governo Maduro para tentar boicotar o canal humanitário, passar informações aos venezuelanos e tentar ajudar a que a iniciativa de Guaidó dê certo. Nossos militares estão participando, mas não de uma forma evidente e que possa levar a acusações de ingerência ou até invasão estrangeira", afirmou a fonte, na reportagem da jornalista Janaína Figueiredo. 

SHOW DE PEGA BOBOS 

Maduro qualificou a falsa ajuda humanitária dos EUA como um "show" e "trapaça pega-bobos" e destacou que a Venezuela já irá receber uma ajuda humanitária da Rússia, que irá entrar "legalmente" na Venezuela e "que foi paga por seu governo".

No total, serão 300 toneladas de remédios e alimentos entregues por cargueiros russos no território venezuelano. 

Governo assume que se prepara para invasão militar na Venezuela 

Em Brasília, fontes do governo Bolsonaro asseguram que todos os cenários estão sendo avaliados, inclusive os militares.

"É claro que isso não será dito publicamente, mas a verdade é que o Brasil está preparado para tudo, inclusive para uma eventual ação militar" enfatizou a fonte ao jornal.