19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Enquete do MS Notícias aponta equilíbrio de opiniões em relação a gestão de Bernal

Desde que foi reconduzido ao cargo de chefe do Executivo de Campo Grande, após sua cassação em março de 2014, o prefeito Alcides Bernal (PP) tem enfrentado diversos problemas para administrar a cidade. Um deles começou com o lixo da Capital, onde a empresa responsável CG Solurb paralisou atividades por falta de pagamento, outro, são os buracos que crescem a cada chuva, ameaça de greve da Santa Casa, problemas com merendas escolares, ameaça de paralisação dos professores pelo cumprimento da (Lei 5.411 de 2014), além de ser alvo dos vereadores da Câmara Municipal, que protagonizam “ofensas diárias" entre o Executivo e o Legislativo. 

Em virtude da cobrança da população por soluções, o MS Notícias realizou uma enquete para saber o que pensam a respeito da “nova gestão de Bernal” (PP). De acordo com o balanço, na fatia entre administração péssima, boa, regular, ótima e ruim, Bernal conquistou 50% no que tange ao item “péssimo”. Já o item “bom”, pontuou 19%, bom em 15%, regular em 15%, ótimo 10% e ruim 6%. Embora a maioria considerasse péssima (50%), entre os itens bom, regular e ótimo, Bernal somou outros 50%, tornando equilibrada a avaliação. 

Cobranças
Mesmo com a regularidade, a leitora Maria Aparecida Gonçalves de 63 anos, aposentada considerou os números como um reflexo do cenário político que vive Campo Grande e continuará cobrando mudanças ao prefeito Alcides Bernal. “É uma bagunça, nossa cidade ficou abandonada com essa briga de políticos e quem sofre é a população. Os vereadores são os que menos podem falar, fica falando do prefeito enquanto o prefeito fala mal deles. Isso tem que acabar e o Bernal tem que arrumar o estrago que fizeram. Minha rua está sem luz, já pedi várias vezes para arrumarem, mas não tem problema, na hora do voto eles voltam aqui e as coisas “melhoram”, protestou Maria Aparecida ao MS Notícias.

Já o funcionário público Mathias Conceição de 52 anos considerou erros cometidos desde gestões passadas, não somente com Bernal. “Isso vem de longe, o Bernal pegou um rombo que o Olarte deixou e infelizmente ele está pagando a conta. O que eu acho é que ninguém é santo ali, uma hora é cafezinho, corrupção, contrato fraudado, não dá pra acreditar mais na política e essa situação que vemos hoje é um reflexo da impunidade. Como você explica o Olarte não ser cassado? Como explica nenhum vereador preso? Esses números são o retrato do que vive a nossa política, se não fosse o Bernal seria outro”, Diz Mathias.