13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

Casa da Mulher Brasilira

Equipes do Planalto começam a chegar para visita de Dilma

A- A+

Ainda há quem especule a hipótese de Dilma Roussef não cumprir a promessa de inaugurar a Casa da Mulher Brasileira em Campo Grande. Mas fontes da Prefeitura confirmam ter recebido da própria assessoria presidencial, hoje, a confirmação da agenda com a mandatária na terça-feira, 3.

Um sinal sintomático começará a ser dado amanhã, com a chegada dos primeiros funcionários escalados pelo Palácio do Planalto para preparar e acompanhar a rápida visita da presidenta. Antes do staff pessoal da presidenta desembarcarão até sábado os encarregados de áreas como a comunicação, a segurança e cerimonial. Dilma vai desembarcar na Base Aérea às 9h e se dirigirá à Casa da Mulher Brasileira, regressando a Brasília logo após a inauguração.

Para receber Dilma uniram-se em esforço integrado a Prefeitura Municipal e o Governo do Estado, por meio das secretarias de Políticas para as Mulheres, além do Diretório Regional do PT. Os dirigentes e representantes políticos de todas as instâncias também colaboram com a mobilização. Amanhã à noite as petistas do Diretório Regional se reúnem para acertar detalhes da recepção, segundo informou Paula Terra, do Setorial das Mulheres.

Os preparativos ganharam hoje a aprovação entusiasmada de uma autoridade bastante próxima da presidenta, a ministra-chefe da Secretaria Nacional de Política Para as Mulheres da Presidência da República, Eleonora Menecucci. Ela, que já havia visitado o local em novembro do ano passado, fez nova vistoria e elogiou o empenho e as providências locais, acompanhada do prefeito Gilmar Olarte, da secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Liz Derzi Matos, e de Cida Gonçalves, secretária nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres.

Campo Grande será a primeira cidade do País a colocar em funcionamento a Casa da Mulher Brasileira. A obra é um dos eixos principais do Programa “Mulher, Viver sem Violência”, coordenado pela Secretaria comandada por Eleonora Menecucci. A iniciativa, segundo a ministra, facilita o acesso aos serviços especializados para garantir condições de enfrentamento da violência, o empoderamento da mulher e sua autonomia econômica.

O espaço oferecerá serviços especializados para atender às vítimas da violência de gênero contra as mulheres, como acolhimento e triagem; apoio psicossocial; delegacia; Juizado; Ministério Público, Defensoria Pública; promoção de autonomia econômica; brinquedoteca; alojamento de passagem e central de transportes. Além de Campo Grande outras 25 casas serão entregues este ano em Brasília (DF), Curitiba (PR), São Luís (MA), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Vitória (ES), Boa Vista (RR), São Paulo (SP), Rio Branco (AC), Palmas (TO) e Maceió (AL).