13 de junho de 2024
Campo Grande 22ºC

Ex-tucano, Douglas Figueiredo se filia ao PDT de olho em 2018

A- A+

O prefeito de Anastácio Douglas Figueiredo se filiou ao PDT (Partido Democrático Trabalhista) e já entrou no partido como um dos principais nomes para disputar as eleições para deputado estadual em 2018, conforme palavras do presidente regional da sigla João Leite Schimidt.

O ato de filiação, que aconteceu na sede do diretório regional do partido, terminou há pouco e contou com presença de diversas lideranças do PDT de todo Mato Grosso do Sul, entre elas do deputado federal eleito Dagoberto Nogueira, do prefeito de Itaporã Walas Milfont e do vereador de Campo Grande Paulo Pedra.

Douglas, que havia se desfiliado do PSDB em agosto deste ano para apoiar o então candidato a governador Delcídio do Amaral (PT), explica que optou pelo PDT pela proximidade que tem com o partido, seu vice é do PDT, e pela admiração que nutre pelo trabalho político desenvolvido por Schimidt à frente da sigla. "O Schimidt é muito experiente, nos dá segurança fazer parte de um grupo coeso como o PDT que conta com a liderança de uma pessoa como ele. Quero contribuir para crescimento do partido visando novos projetos", afirma.

Embora Douglas seja mais cauteloso sobre seu futuro político, Schimidt confirmou que o projeto político para Douglas dentro do PDT é se eleger deputado estadual em 2018. "Ele será candidato a deputado estadual sem dúvida, é um grande nome, é um militante político e gosta de trabalhar na política, o que é essencial para ser do PDT", diz Schimidt.

Douglas espera que sua filiação possa trazer benefícios também a sua gestão na Assomassul (Associação dos Prefeitos de Mato Grosso do Sul), que termina em fevereiro de 2015. Segundo ele, por ser agora do PDT, partido aliado à presidente Dilma, ele deverá ter mais espaço e voz no diálogo com União. "Eu sou grande fã da Dilma, mas existem coisas que preciso discordar dela como é o caso do IPI (Imposto Sobre Produto Industrializado) que deve sim ser desonerado, mas isso não pode recair sobre os municípios. Espero que na próxima semana em Brasília tenha chance de conversar com presidente sobre o assunto", finaliza.

Heloísa Lazarini