11 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

Ao lado de FHC, Rose Modesto reforça compromisso social do governo tucano em MS

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), participou na manhã desta sexta-feira (13) ao lado do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), e da vice-governadora Rose Modesto, da inauguração do projeto social “Rede Solidária” que atende famílias carentes no Bairro Dom Antônio Barbosa em Campo Grande. 

Na ocasião, o ex-presidente comentou que as políticas sociais não devem passar de assistencialismo e sim, influenciar diretamente a vida das pessoas. “Temos que pensar não só no Governo, mas sim nas pessoas. Sou sociólogo e andava muito em favela, é importante ver a mudança na vida da população, não se muda a pobreza e a miséria com dinheiro e sim com educação. Precisamos não reduzir a política social como apenas uma transferência de renda”, disse o ex-presidente. 

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) complementou a fala de Fernando Henrique Cardoso e destacou que os moradores de regiões menos favorecidas terão mais oportunidade com o projeto nos bairros. “As famílias que precisam mais de atenção, não só as crianças, mas os pais também tem que ter um acompanhamento. Esse projeto vem fazer esse tipo de trabalho, valorizar as famílias e dar assistência por completo”, disse Azambuja.

Emocionada durante seu discurso, a vice-governadora Rose Modesto lembrou que na época da campanha visitou o bairro e se via “num dever de necessidade de ajudar” a comunidade com o projeto. “A Rede Solidária começa aqui no Dom Antônio Barbosa, um dos bairros mais vulneráveis, agressão as mulheres, violência, falta de escolas, saúde, eu volto aqui com a sensação de que temos muito mais a oferecer e colaborar, que nós sabemos a necessidade do povo que batalha, que é trabalhador e espero que esse projeto mude a vida de todos”, completa Rose, emocionada no palanque. 

Moradora do bairro há 5 anos, Maria Aparecida Santos (56 anos) doméstica, comemorou a vinda do projeto e afirma que dará mais estrutura para as famílias carentes. “Estamos contentes por que não esqueceram a gente. Minha filha e minha neta estão aqui e já vamos ver o que podem nos ajudar no atendimento a saúde, preciso de alguns exames, é uma facilidade a mais pra gente que está tão longe da cidade”, comenta a moradora.

O marceneiro Francisco Alvino (67 anos) aposentado, veio conhecer o projeto e já pensa no filho para se profissionalizar e conseguir um emprego. “Eu quero saber o que podem oferecer para meu filho aprender, está muito difícil arranjar trabalho e quero que ele aprenda a fazer alguma atividade, garantir o futuro dele”, destaca. 

Projeto
O projeto do Rede Solidária está instalado nas mediações da Favela Cidade de Deus e vai trabalhar com assistência a comunidade por iniciativa pública e privada. Na primeira etapa serão atendidas em média de 850 pessoas em 7 módulos que operam com 28 projetos. A unidade terá espaços para alvenaria, atuando em educação, cultura, esporte, prevenção na saúde, atendimento ao pequeno produtor e diversas atividades.