21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

Giroto e ex-secretária podem ser presos novamente a qualquer momento

A- A+

Por volta das 20h desta quarta-feira (11) o habeas corpus do ex-deputado federal, ex-secretário de Obras de Mato Grosso do Sul e ex-assessor especial do Ministério dos Transportes, Edson Giroto (PR), e à ex-diretora-presidente da Agesul, Maria Wilma Casanova Rosa, foi revogado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, e segundo informações eles já estão no Guarras (Grupo Armado de Resgate e Repressão a Assalto e Sequestros).

Apesar da ordem de prisão não ter sido expedida, Giroto e Maria Wilma já se apresentaram com seus advogados, segundo o delegado Fábio Peró, eles entraram por uma porta nos fundos da delegacia e aguardam a ordem de prisão que poderá ser entregue a qualquer momento.

O caso

Giroto tive o pedido de prisão temporária decretada na última segunda-feira (9), pelo juiz Carlos Alberto Garcete, juntamente com mais oito pessoas, ele permaneceu na delegacia por algumas horas entre o terça-feira (10), e quarta-feira (11) sendo solto através de um habeas corpus.

A decisão do Ministério Público Estadual (MP-MS) pelas prisões foi motivada devido o contrato com a empresa Proteco para recuperar a MS-228, a Estrada Park do Pantanal, numa extensão de 42 quilômetros. A investigação aponta desvio de verbas públicas. São ao todo dois inquéritos que apuram os possíveis crimes. No dia 9 de julho deste ano, foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão e quatro ordens de afastamentos de servidores estaduais.