23 de abril de 2021
Campo Grande 31º 19º

Giroto está no Garras em cela comum, pequena com apenas um buraco no chão

A- A+

O ex-secretário de obras Edson Giroto está detido na sede do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) em uma cela pequena com dimensões 3x3 metros, sem chuveiro, sem cadeira, banco e sem janelas.

?Segundo delegado Fábio Peró, na cela possui apenas um buraco no chão e um cano com água fria, pois Giroto não pode sair da cela a não ser quando for convocado para prestar depoimento.

O ex-secretário é investigado pela Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica, e pelo MPE (Ministério Público Estadual) por envolvimento em esquema de desvio de dinheiro público por meio de fraudes de contratos e licitações para execução de obras contratadas pelo governo do Estado. Outras sete pessoas estão detidas em delegacias da Capital.

Segundo delegado, Giroto ainda não prestou nenhum depoimento e não há ainda horário confirmado para que ex-deputado federal deponha nem mesmo se será delegado da Polícia Civil ou próprio promotor de Justiça que conduz Força Tarefa do MPE que irá ouvi-lo.

Além de Giroto, também foi preso empresário João Amorim, dono da Proteco Construções Ltda, que também teve pedido de prisão decretado pela Justiça na manhã desta terça-feira (9). Outras sete pessoas estão detidas em delegacias da Capital.

Amorim teve prisão decretada em 30 de setembro e permaneceu detido por 34 horas entre como investigado da Operação Coffee Break, conduzida pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). A operação apura se houve compra de votos para cassar mandato do prefeito Alcides Bernal (PP) em 2014.