17 de abril de 2024
Campo Grande 21ºC

ELEIÇÕES 2024

Isolamento de prefeito leva PSDB a buscar outra saída em Corumbá

Ex-deputada tucana pode ser indicada para vice em chapa liderada por ex-vereador e ex-candidato a prefeito

A- A+

Se alguém precisar de reportagens ou imagens de grandes dirigentes políticos estaduais em Corumbá para retratar a pujança de seu carnaval, terá de contentar-se com os flagrantes das câmeras na desgastada figura do ex-senador Delcídio Amaral. Que nasceu na cidade, onde possui propriedade rural e hoje é sua única esperança de voltar ao primeiro plano da política, disputando a prefeitura.

De resto, e ao contrário de outras épocas, desta vez o magnífico e concorrido carnaval corumbaense não teve a presença de um governador, um senador ou alguma celebridade estadual. Quem faz a leitura crítica sobre o que teria motivado este surpreendente sumiço já deduz: são pouquíssimas as lideranças do Estado que se arriscam a aparecer ao lado do prefeito Marcelo Iunes (PSDB), ou ao menos visitar a cidade em fevereiro.

Este é um dos cenários que revelam o isolamento de Iunes, situação explícita em outros contextos. Ele talvez seja o único prefeito tucano em Mato Grosso do Sul que não dirige ou indica o presidente do diretório municipal. Os exemplos vêm de Mundo Novo, onde o prefeito Valdomiro Sobrinho (PSDB) indicou o presidente da Executiva, Richardson Schvartz, e Amambai, com o próprio prefeito Edinaldo Bandeira à frente da sigla.

Em Corumbá, entretanto, Iunes não conseguiu nem uma coisa, nem outra. Sem autoridade ou prestígio para ter o controle do processo, a direção local do PSDB foi decidida pela Executiva Regional, que deu o comando do diretório a Paulo André de Araújo Jr, ex-diretor da Agência Municipal de Transporte e Trânsito, ligado ao vereador tucano Ubiratan de Campos Jr. E para carregar mais a tinta dos desgastes, Iunes tem sobre si um acúmulo de denúncias e desmandos que incomodam a direção partidária.

TRANSFERINDO DESGASTES 

Marcelo Iunes e Pardal: isolamento e fracasso políticoMarcelo Iunes e Pardal: isolamento e fracasso político. 

O auge do isolamento se coroa com a desastrada decisão de lançar seu secretário de Governo, José Antônio Pardal, pré-candidato à sucessão. Sem ser conhecido e estar fora da alça de mira afetiva da população, Pardal não tem competitividade e sofre com a transferência de desgaste do "padrinho" político. Isto leva o PSDB a procurar outra saída para não passar vexame nas urnas e arriscar-se a ser derrotado e perder a hegemonia no quarto maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul.

Uma das alternativas do PSDB já está sendo encaminhada e, ao que parece, os resultados agradam seus protagonistas, um grupo de partidos e lideranças dispostos a oferecer ao município uma solução administrativa e política diferente e oposta à que Iunes trouxe nos últimos sete anos. A ideia é construir uma chapa tendo na cabeça o vereador Dr Gabriel, que está com um pé no PSB, e na vice a ex-deputada federal tucana Bia Cavassa.

Bia Cavassa e Paulo Duarte: entendimento PSDB-PSBBia Cavassa e Paulo Duarte: entendimento PSDB-PSB

Esta composição atenderia às expectativas dos dirigentes estaduais do PSDB e PSB, respectivamente Reinaldo Azambuja e Paulo Duarte, que vem trabalhando a proposta desde o ano passado, e também atrairia outras forças, que também querem ver Corumbá respirar ares renovados em sua gestão. O vereador Chicão Viana (PSD) e o vereador Ubiratan Jr (PSDB), dois dos pré-candidatos, seriam também favoráveis ao amplo entendimento.