27 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

NOVO CICLO

"Jeito Riedel" de governar trabalha com metas e já colhe resultados

Governador aprimora eficácia de gestão, fortalecendo secretários e descentralizando meios operacionais

A- A+

Regularmente, os salários de mais de 85 mil servidores públicos — entre ativos, inativos e pensionistas de Mato Grosso do Sul  — são pagos até o quinto dia útil do mês seguinte ao do vencimento ou antes. Este calendário foi mantido de 2015 a 2022, no governo de Reinaldo Azambuja (PSDB). É um dos principais compromissos ajustados pelo Estado com seu corpo de trabalhadores e que não sofrerá solução de continuidade agora, na gestão de Eduardo Riedel (PSDB).

Em seu quarto mês de mandato, Riedel vai pagar abril antes de terminar o mês. O dinheiro dos servidores poderá ser sacado neste sábado, 29. Mais do que uma referência simbólica ao feriado do Dia do Trabalhador, celebrado em 1º de Maio, e além da homenagem aos seus colaboradores diretos, o governo faz do repasse antecipado um sinalizador concreto do controle financeiro e da segurança que o planejamento de gestão oferece às decisões do gênero.

Ao cumprir uma das pautas sociais mais importantes do Executivo, o governador alinha o vigor no controle das finanças aos demais elementos de gestão que retratam sua marca pessoal. O "jeito Riedel" de governar combina a austeridade do controle fiscal-financeiro e a pauta de obras, que engloba o viés de investimentos em infraestrutura, sobretudo na malha viária, habitação,  abastecimento e demandas físicas de segurança, saúde e educação.

Dentro desse contexto, as medidas direcionadas à inclusão social e à capacitação do empreendedorismo, por exemplo, passam primeiro por uma rigorosa e sistemática avaliação técnica e financeira, de modo a assegurar os resultados previstos. Para isso, Riedel descentraliza e fortalece sua estrutura de assessoria, dando ênfase à responsabilidade dos secretários e ao papel dos secretários.

CONFIANÇA

Pelas atribuições de suas pastas na necessidade de respostas rápidas para demandas de uma gestão transversal, dois secretários ocupam posições de relevância no andamento da máquina. São eles: Pedro Arlei Caravina, de Governo e Gestão Estratégica, e Flávio César Mendes de Oliveira, de Fazenda. A eles o gestor confiou a condução do pensamento estratégico e sua execução, no eixo das diretrizes programáticas definidas por Riedel.

O governador está convicto das escolhas e sua aposta até agora vem demonstrando acerto. Além da lealdade e da identificação partidária, ambos estão no time de assessores credenciados por experiências bem-sucedidas na vida pública e em atividades profissionais e privadas. Pedro Caravina, 52, é advogado e delegado de Polícia Civil aposentado. Foi duas vezes prefeito de Bataguassu (2013-20) e presidiu a Associação dos Municípios (Assomasul). Filiado ao PSDB, em 2022 conquistou uma cadeira de deputado estadual, da qual se licenciou para compor o secretariado de Riedel.

Flávio César e Riedel. Foto: ReproduçãoFlávio César e Riedel. Foto: Reprodução

Flávio César Mendes de Oliveira, de 56 anos, é graduado em Comunicação Social, com habilitação em Relações Públicas, pós-graduado em gestão e marketing integrados. Foi vereador de 2009 a 2016 e chegou a presidir a Câmara Municipal de Campo Grande. Depois, trabalhou como secretário-adjunto de Riedel na Secretaria de Governo durante a gestão de Reinaldo Azambuja. É um dos nomes no quadro de líderes do PSDB, e assim como Caravina está entre os ativistas e pensadores que atuaram na linha de frente de Riedel durante a campanha de 2022.

GESTÃO SEFAZ

Agora em abril, quarto mês de seu primeiro ano de mandato, Riedel municiou as secretarias de Caravina e Flávio César com os contratos de gestão que norteiam e apontam o caminho desafiador das metas e projetos prioritários para o atual exercício. O ato contratual deu a nota de compromissos elencados pelo governador no texto do “Ano 1 de Um Novo Ciclo de Desenvolvimento”, o documento que contém todas as previsões de viabilidade e execução da governança sul-mato-grossense.

Para os secretários, a gestão modernizada representa um avanço de enorme significação para o conjunto da sociedade. O contrato de gestão vai formalizar os compromissos e entregas da pasta para o ano. “Estas ações, com certeza, nos conduzirão para um Estado transformador, que vai levar resultados efetivos para nossa gente”, opinou Flávio César.

Para Caravina, o documento contratual é nada mais do que trazer para planos concretos o que o governo propõe para a população, dentro de tudo o que foi apresentado e debatido durante a campanha eleitoral. "Assinamos os compromissos para atingir metas em áreas importantes. E ainda podemos incluir novas situações que surgirem pelo caminho”, resumiu.