29 de setembro de 2020
Campo Grande 38º 22º

Jerson Domingos pode ser indicado para ser vice de Delcídio

O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa Jerson Domingos (PMDB) afirmou ao MS Notícias que assim como o governador André Puccinelli (PMDB) irá se licenciar do PMDB entre os dias 10 e 30 de junho caso o partido não apoie a reeleição da presidente da República Dilma Rousseff (PT).

"Irei seguir a mesma posição do governador", afirma Jerson. O deputado disse também que deve conversar com o governador André Puccinelli sobre o resultado da reunião entre ele e Dilma, realizada ontem em Brasília, ainda hoje. Jerson é um dos principais defensores de uma aliança entre seu partido e o PT nas eleições de ano, e, ao que tudo indica, o deputado, está otimista em relação á possibilidade, em especial depois de ontem.

Jerson acredita que Puccinelli, a pedido de Dilma, ainda possa convencer o PMDB de Mato Grosso do Sul a se aliar, em junho, ao PT e compor uma chapa tendo o senador Delcídio do Amaral (PT) como candidato a governador. "Caso aconteça uma aliança, ficaria aberto para o PMDB indicar o vice e o Senado, pois o PMDB não coligaria ao PT se o partido não abrisse esses cargos", explica Jerson.

A aliança embora seja rejeitada pela maioria do PMDB, que, já lançou sua pré-candidatura ao governo do Estado através do ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad, tem ganhado espaço entre alguns nomes do partido depois do veto da executiva nacional do PT em relação a uma aliança do partido com o PSDB, do deputado federal Reinaldo Azambuja.

Como em política tudo é possível e muita coisa se decide na última hora, Jerson acredita que a possibilidade de PT e PMDB dividirem um palanque existe e nesse caso o deputado não descarta a possibilidade de participar de forma efetiva da chapa de Delcídio como vice-governador. "O Delcídio já disse para mim algumas vezes que gostaria muito que eu fosse indicado pelo PMDB para ser o vice. Se o PMDB fizesse essa indicação eu ficaria muito honrado",afirma.

Heloísa Lazarini