08 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Justiça obriga Egelte a retomar obra do Aquário do Pantanal

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul derrubou liminar concedida à Egelte Engenharia Ltda e determinou que empresa retome e conclua as obras do Aquário do Pantanal. 

A decisão foi proferida pelo juiz José Ale Ahmad Netto e derruba liminar concedida há dois meses pleo juiz da 3ª Vara de Fazenda Pública, Fernando Paes de Campos. 

A Egelte foi contratada para executar obras do Aquário do Pantanal após exclusão da Proteco Engenharia Ltda, que era principal executora da obra. A Proteco, de João Amorim, é alvo de investigações da Operação Lama Asfáltica da Polícia Federal.

Porém, assim que assumiu obra, a empresa recorreu à Justiça para conseguir autorização para não executar obra alegando que o governo estadual deveria efetuar auditoria novamente para que depois disso a empresa pudesse dar andamento. A Egelte Engenharia informou por mei de advogados que irá recorrer da decisão. 

O Aquário do Pantanal foi a última grande obra do ex-governador André Puccinelli (PMDB). Com custo inicial de R$ 87 milhões, porém, conforme informações do atual governo de Reinaldo Azambuja (PSDB), o Aquário já custou cerca de R$ 230 milhões ao Estado.