22 de maio de 2024
Campo Grande 23ºC

EXTREMA DIREITA

Luciano Hang financiou R$ 27 milhões via Lei Rouanet, diz site

Empresário bolsonarista usa o sistema criticado pelo seu ídolo

A- A+

O empresário bolsonarista Luciano Hang, das Lojas Havan, destinou mais de 27 milhões de reais para projetos que foram autorizados a captar recursos via Lei Rouanet.

As informações são do site UOL desta 4ª.feira (1º.mar.23), que mapeou 350 destinações expressivas do empresário nos últimos anos. Essas dez são as maiores: 

  1. Documentário "O Dia da Virada": A produção, que vai reconstruir o último dia antes da eleição para o governo de Santa Catarina, em 2003, foi contemplada com R$ 120 mil.

 

  1. Restauro da Igreja Espírito Santo - Paróquia Luterana de Blumenau: O projeto, que prevê a recuperação e conservação da igreja construída em 1877, recebeu R$ 500 mil da empresa.

 

  1. Manutenção do Instituto HAHAHA: Hang investiu R$ 200 mil na execução de ações artísticas híbridas realizadas pelo instituto. O projeto, que é de 2020, tinha por objetivo a garantia de acesso à Cultura durante a pandemia.

 

  1. Projeto OMUNGA NA AMAZÔNIA: A ação, que visa oferecer ações educativo-culturais para professores e alunos da rede pública de Joinville (SC), foi contemplada com R$ 200 mil das Lojas Havan.

 

  1. Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil: O empresário investiu R$ 300 mil no plano anual de atividades da instituição de 2020.

 

  1. Musical "Bem Sertanejo": A terceira temporada da montagem recebeu R$ 250 mil. O musical aborda a história da música caipira da origem até os dias de hoje.

 

  1. Mostra cultural e étnica na cidade de Esteio (RS): O evento "busca valorizar as diversas expressões artísticas e culturais", recebeu R$ 300 mil da empresa.

 

  1. Amostras culturais e Étnicas nas cidades de Três Palmeiras, Salgado Filho, Frederico Westphalen e Erechim, no Rio Grande do Sul, e em Pinhalzinho, Santa Catarina. A Havan investiu R$ 291 mil no projeto.

 

  1. Festas regionais para promover o turismo no Paraná: um projeto que tinha por objetivo a realização da 29ª Festa da Tainha, da 4ª Festa Nacional e da 37ª Festa do Pescador foi contemplado com R$ 250 mil.

 

  1. Festival Sertanejo em SC e PR: o evento de resgate da música raiz recebeu da empresa R$ 294 mil.

 

  1. Shows de Natal em cinco cidades do sul. As apresentações gratuitas, segundo o projeto, foram realizadas nas cidades de Lages (SC), Maringa (PR), Biguacu (SC), Balneário Camboriú (SC) e São José dos Pinhais (PR). A ação captou R$ 300 mil com as lojas de Hang.

A destinação de tais valores para ações culturais destoam do que prega o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o qual Hang é defensor ferrenho. Bolsonaro, ao longo de sua gestão tentou desmontar o fomento à Cultura via legislação. O ex-capitão, após a derrota, tem feito críticas públicas ao retorno de grandes projetos sendo aprovados a captar recursos via Lei Rouanet. As críticas são ecoadas por aliados, incluindo seus filhos.

As destinações do empresário bolsonarista seguem, apesar das críticas do ex-presidente ao sistema. Quando Hang aceita financiar um projeto, ele recebe como contrapartida inceintivo como desconto no imposto de renda de suas empresas, como prevê a lei.

Em 2022, quando algumas das doações de Hang vieram a público, ele defendeu o financiamento em uma série de tuítes publicados em suas redes sociais. Nesta 4ª.feira, porém, não se pronunciou sobre o tema.

O que é a Lei Rouanet?

Criada em 1991, no governo Fernando Collor, a Lei Rouanet concede incentivos fiscais a pessoas físicas e empresas privadas patrocinadoras de produtos ou serviços na área da cultura. A aprovação no Ministério da Cultura, no entanto, não garante a captação nem a execução do projeto, que ficam a cargo dos proponentes. A captação é feita por renúncia fiscal. Ou seja, é uma reorganização de imposto, que seria pago aos cofres públicos, mas é direcionado a produções artísticas.

FONTE: SPLASH - UOL