21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

“Nós fazemos a diferença na política”, diz presidente nacional do PHS

A- A+

O Partido Humanista da Solidariedade (PHS), que tem como objetivo priorizar o ser humano, antes de tudo, pois a ideologia do partido preza pela mudança de hábitos dos governantes, priorizando a ética e a moral. Esse foi o direcionamento que Eduardo Machado, presidente nacional do Partido Humanista da Solidariedade enfatizou desde sua chegada à Campo Grande, na tarde de ontem (9).

Essa mesma linha de trabalho e programa foi enfatizada durante o encontro partidário ocorrido na manhã de hoje (10), que reuniu lideranças dos municípios do estado, bairros, associações e políticos de outros partidos que se alinham com o programa da legenda.

Discursando para uma plateia lotada, Eduardo Machado disse que o PHS tem orgulho de ser um partido diferente. “Somos um partido que nasceu há 18 anos buscando ser instrumento diferenciado na forma de fazer política. Temos bandeiras, temos propostas, temos um pensar diferente que visa beneficiar o ‘ser humano’. Nascemos pequenos e desde então estamos crescendo em qualidade. Temos cinco deputados federais que fazem a diferença na política, estamos presentes em 220 municípios, contamos com 2 deputados estaduais. Dos 35 partidos, o PHS foi o sexto mais votado. Em 18 anos, começamos do zero e hoje fazemos a diferença. É possível crescer, fazer a política mais ética e o PHS mais forte”, destacou o presidente nacional do PHS.

Mato Grosso do Sul

O empresário e membro do diretório do partido, Emídio Millas, lembrou que o momento político atual exige uma profunda reflexão. “O PHS vem com a proposta eficaz de pensar de forma diferente, focado no ser humano, e essa é a filosofia do PHS, uma proposta que vá ao encontro dos desejos da população. O desafio que enfrentamos, nesse momento de instabilidade política, é imenso. Hoje os cidadãos de Campo Grande estão descrentes da política, principalmente em função do plano criminoso, por meio do qual tentaram ‘degolar’ o prefeito Alcides Bernal, de seu cargo. No entanto, a Justiça foi ágil e segura, devolvendo o cargo ao prefeito legitimamente eleito. O PHS não compactua com os 23 vereadores que, derrubando o prefeito, foram mentores da crise instalada. Precisamos organizar e reforçar nosso partido para as eleições de 2016. O povo vai votar de forma consciente para eleger prefeitos e vereadores nos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, e a nossa preocupação é filiar pessoas que estejam comprometidas com a boa política”, disse Emídio.