22 de maio de 2024
Campo Grande 24ºC

ELEIÇÕES 2022

Nova pesquisa: Lula tem 42% dos votos e Bolsonaro 34%, mostra BTG/FSB

Só Simone Tebet cresceu para 6%

A- A+

Lula (PT), mantém a vantagem de 8 pontos percentuais à frente de Jair Bolsonaro (PL), na corrida eleitoral de 2022. Os números são da nova pesquisa da FSB Comunicação para o banco BTG Pactual, divulgada nesta segunda-feira (5.set.2022). Eis a íntegra. 

Segundo o levantamento, Lula tem 42% e Bolsonaro tem 34%. O intervalo de confiança é de 95%.  

No último levantamento, divulgado em 29 de agosto, o petista aparecia com 43%, contra 36% do presidente. Portanto, Lula subiu e Bolsonaro caiu dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais. 

Ciro Gomes (PDT) recuou para 8% (- 1 ponto percentual); Simone Tebet (MDB) saltou para 6% (+ 2 pontos percentuais); Pablo Marçal (Pros) manteve 1% de votos; Vera Lúcia (PSTU) também continua com 1% (mesmo percentual); Soraya Thronicke (União Brasil), pela primeira vez, conseguiu chegar a 1% (ela não havia pontuado nos levantamentos anteriores).

Simone Tebet foi a única a crescer por duas semanas consecutivas: tinha 3%, foi a 4% e agora aparece com 6%.

Na ala dos que não pontuaram estão José Maria Eymael (DC), Felipe D’Ávila (Novo), Sofia Manzano (PCB) e Leonardo Péricles (UP). Brancos e nulos somam 1%. Não sabem ou não responderam correspondem a 3%, mesmo percentual dos que responderam não votar em nenhum candidato.

Com esse crescimento dos candidatos da 3ª via (de 15% para 17%), o ex-presidente Lula fica mais distante de uma eventual vitória no 1º turno. O gráfico:

79% dos eleitores dizem que sua decisão de voto está tomada e não pretende mudá-la. 19% ainda podem mudar. O gráfico: 

A maioria dos que pretendem mudar de votos dizem que devem destiná-los à Ciro (20%); Lula (18%) e Simone Tebet (14%). O gráfico: 

Foram realizadas 2 mil entrevistas por telefone de 2 a 4 de setembro de 2022. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01786/2022. O levantamento custou R$ 128.957,83 e foi pago pelo CPF/CNPJ: 30306294000145 - Banco BTG Pactual S.A. A íntegra dos custos.  

2º TURNO

Num eventual 2º turno entre Lula e Bolsonaro, o petista venceria o centrista por 53% dos votos contra 40%. O gráfico: 

Se o embate fosse entre Lula e Ciro, o petista venceria por 46% a 35%. O gráfico: 

Caso o duelo fosse entre Lula e a senadora Simone Tebet, o placar seria 48% para Lula contra 32% para Tebet. O gráfico: 

De acordo com a mostra, caso Bolsonaro brigasse pela reeleição com Ciro, o candidato do PDT venceria a disputa por 49% a 39%. O gráfico: 

Numa disputa entre Bolsonaro e Tebet, a senadora fica com 46% e o presidente, com 40%. Isso é, o brasileiro não tem intenção de dar uma chance de reeleição a Jair Bolsonaro. Ele perde em todos os cenários num eventual 2º turno. O gráfico: 

REJEIÇÃO

O presidente é o líder no tópico rejeição. Jair Bolsonaro tem 55% de rejeição de votos. Ciro Gomes é o 2º colocado nesse tópico, tem uma rejeição de 49%. Lula é o 3º colocado, tem 46% de rejeição de votos. Felipe D’Ávila e Simone Tebet, estão empatados no 4º lugar, com 36% de rejeição, cada.

Vera Lúcia é a 5ª colocada, com 35% de rejeição. Depois vem o coach Pablo Marçal, que tem 31% de rejeição. O gráfico:

AVALIAÇÃO DO GOVERNO

Saltou para 46% o número de eleitores que consideram o governo Bolsonaro “ruim/péssimo”. 33%, entretanto, ainda apontam o governo como “ótimo/bom”.  Outros 19% consideram a gestão atual “regular”. O gráfico:

AUXÍLIO BRASIL

Apesar de apostar todas as fichas no programa social na boca da urna, Bolsonaro não ganhou mais votos entre os beneficiários do Auxílio Brasil.

De acordo com a pesquisa, o presidente permaneceu no mesmo patamar (23% agora, antes 24%) na comparação com a rodada passada.

Lula é opção de voto para 58% dos eleitores que recebem o benefício, mesmo percentual do levantamento anterior. O gráfico: 

ECONOMIA

A pesquisa também questionou os entrevistados sobre a situação atual da economia brasileira:

  • 10% afirmam estar vivendo um bom momento econômico (mesmo percentual do levantamento anterior);
  • 35% dizem estar em crise, mas começando a recuperar (mesmo percentual do levantamento anterior); 
  • 51% afirmam estar em crise, com dificuldade de recuperar (ante 52% do levantamento anterior). 

O gráfico:

Sobre a alta dos preços nos próximos 3 meses:

  • 33% dizem que os preços irão cair (eram 34%); 2
  • 8% afirmam que os preços vão ficar iguais (eram 27%);
  • 34% dizem que os preços irão aumentar (eram 33%).

O gráfico:

Questionados sobre a situação financeira individual nos últimos 30 dias:

  • 28% afirmam ter piorado de vida nos últimos 30 dias (eram 31%);
  • 50% avaliam estar igual (eram 48%);
  • 21% dizem ter melhorado (eram 20%).

O gráfico:

A pesquisa também perguntou sobre o horário eleitoral gratuito, que já foi assistido ou ouvido por 57% dos eleitores. O gráfico:

Entre quem vota em Jair Bolsonaro, não faz diferença ter ou não assistido aos programas, ele tem 34% dos votos nos dois grupos. Já Lula é bem mais votado entre quem foi impactado pelo horário eleitoral (grupo em que ele tem 45%) do que entre quem não foi (37%). O gráfico: