19 de maio de 2024
Campo Grande 20ºC

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

'Novo tempo': Lula fecha 15 acordos com a China

Os maiores países da Ásia e da América do Sul voltam a dialogar rumo ao futuro

A- A+

O presidente do Brasil, Lula (PT), se reuniu com o presidente da China, Xi Jinping, no Palácio do Povo, em Pequim, na tarde (horário local) desta 6ª.feira (14.abr.23). Ao menos 15 parcerias em áreas como comércio, telecomunicações, ciência e tecnologia, transição energética e combate às mudanças climáticas, foram assinados. A íntegra.  

Esse encontro entre os presidentes ocorre no 2ª dia da visita oficial da delegação brasileira ao país asiático. 

Eis um resumo sobre os acordos entre China e Brasil: 

1 – acordaram em trabalhar para a facilitação de comércio entre o Ministério das Relações Exteriores e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços do Brasil e o Ministério do Comércio da China. A íntegra.

2 – acordaram em desenvolver em conjunto o satélite Cbers-6. Eis a íntegra.  

3 – haverá uma cooperação em pesquisa e inovação entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação do Brasil e o Ministério da Ciência e Tecnologia da China. Eis a íntegra.  

4 – haverá cooperação em tecnologias da informação e comunicação entre os ministérios responsáveis pela área de ambos os países. Eis a íntegra.  

5 – ministério chinês e brasileiro irão atuar na promoção do investimento e cooperação industrial. Eis a íntegra.  

6 –  fortalecimento da cooperação em investimentos na economia digital entre o Ministério do Comércio da China e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços do Brasil. Eis a íntegra.  

8 – cooperação em informação e comunicações entre o Ministério das Comunicações do Brasil, a Agência Nacional de Telecomunicações da República Federativa do Brasil e o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China. Eis a íntegra.

9 – haverão coproduções televisivas entre o governo da República Federativa do Brasil e o governo da República Popular da China. Eis a íntegra.

10 – entendimento entre grupo de mídia da China e Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República Federativa do Brasil. Eis a íntegra.  

11 – cooperação entre agência de notícias Xinhua e Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Eis a íntegra.

12 – cooperação para o desenvolvimento social e rural e combate à fome e à pobreza entre os países. Eis a íntegra.

13 – plano de cooperação espacial 2023-2032 entre a Administração Espacial Nacional da China e a Agência Espacial Brasileira. Eis a íntegra.

14 – plano de trabalho Brasil-China de cooperação na certificação eletrônica para produtos de origem animal. Eis a íntegra

15 – protocolo entre o Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil e a Administração-geral de Aduanas da China sobre requisitos sanitários e de quarentena para proteína processada de animais terrestres a ser exportada do Brasil para o país asiático. Eis a íntegra.  

DISCURSOS DOS LÍDERES

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está na China desde 4ª feira (12.abr); na foto, chefe do Executivo brasileiro ao lado do presidente da China, Xi Jinping. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está na China desde 4ª feira (12.abr); na foto, chefe do Executivo brasileiro ao lado do presidente da China, Xi Jinping. 

Durante o encontro ampliado entre os presidentes, ambos fizeram breves pronunciamentos exaltando a importância da relação comercial e estratégica entre os maiores países da Ásia e da América do Sul, que completa 50 anos em 2023. Uma parceria que pode ser ampliada, segundo Lula. Na sequência, houve uma reunião mais restrita, entre os dois líderes e os ministros de relações exteriores dos dois países.

“Queremos que a relação Brasil-China transcenda a questão comercial, queremos ter uma relação profunda na ciência e tecnologia, parcerias entre as universidades para ter mais alunos brasileiros na China e mais alunos chineses no Brasil. Contamos com a China na nossa luta pela preservação do planeta Terra, defendendo uma política climática mais saudável. Por isso é extremamente importante uma transição energética para que a gente possa produzir energia mais limpa, sobretudo energia eólica, solar e biomassa”, destacou Lula.

O presidente do Brasil também mencionou metas no campo da preservação ambiental, aliadas ao desenvolvimento agrário para ampliar a produção de alimentos. “O Brasil está comprometido a alcançar, até 2030, o desmatamento zero na Amazônia e a dar nossa contribuição à preservação do planeta. Estamos convencidos de que o desenvolvimento da agricultura brasileira não precisa fazer desmatamento irresponsável e muito menos queimadas. O Brasil pode praticamente dobrar sua produção agrícola recuperando terras degradadas, sem precisar derrubar nenhuma árvore”, afirmou.

Por sua vez, o presidente chinês Xi Jinping se disse “feliz” ao ver o presidente Lula logo após ter se recuperado de um problema de saúde que adiou a visita, inicialmente marcada para o mês passado. Ele também falou sobre a parceria de longa data entre os dois países. “A China tem uma relação estratégica e de longo alcance com o Brasil, que tem um lugar prioritário nas nossas relações exteriores. O senhor é nosso amigo de longa data. O relacionamento Brasil e China, em desenvolvimento saudável e estável, desempenhará um papel importante para a paz, a estabilidade e o desenvolvimento próprio para os dois países e para o mundo”, afirmou.

Nesse contexto de ampliação da parceria entre os países, durante suas conversas, os dois líderes expressaram o desejo de contribuir para a paz mundial e o fim do conflito entre Rússia e Ucrânia, reforçando as instâncias multilaterais como a ONU.