27 de maio de 2024
Campo Grande 13ºC

LUTO NA POLÍTICA

Oficial: deputado Amarildo Cruz morre, após 3 dias de briga pela vida no hospital

Amarildo estava no 5ª mandato, tendo sido eleito com 17.249 votos em 2022

A- A+

O deputado estadual Amarildo Cruz (PT), faleceu aos 60 anos, nesta 6ª.feira (17.mar.23). A confirmação acaba de ser feita pela assessoria oficial do petista. Eis o comunicado: 

Amarildo estava lutando pela vida desde a 4ª.feira (15.mar), quando foi levado às pressas ao Hospital Proncor. Na noite daquela 4ª, o quadro dele evoluiu para uma parada cardiorrespiratória, ele foi reanimado e seguia em estado grave sustentado por aparelhos.

Ontem, alguns veículos chegaram a noticiar o falecimento do parlamentar, mas seu assessor Paulo Barbosa, não confirmou a informação. Hoje, porém, foi oficializado a morte de Amarildo Cruz.   

Amarildo estava no 5ª mandato, tendo sido eleito com 17.249 votos em 2022. Ele integrava a bancada do PT, na Casa de Leis. Ganhou prestígio político por defender as causas sociais, sempre trabalhando pelo fortalecimento dos servidores e do serviço público. Foi um dos fundadores do Sindicato dos Agentes Tributários Estaduais de Mato Grosso do Sul, atual Sindifiscal/MS, onde foi secretário geral e presidente. Buscou a união da categoria, conseguiu avanços significativos e contribuiu em momentos importantes da história do sindicato.

No quarto mandato, ele havia ficado como suplente e assumiu depois que Cabo Almi (PT) faleceu em decorrência de Covid-19.

CARREIRA

Natural de Presidente Epitácio, no Estado de São Paulo, Amarildo veio para MS em 1981 aos 18 anos, quando foi aprovado em concurso de Fiscal Tributário Estadual. Formou-se em Direito, cursou Ciências Contábeis, pós-graduado em Gestão Pública, e especialista em Ciência do Direito.

O deputado era filiado ao Partido dos Trabalhadores desde 1984, onde ocupou os cargos de presidente e tesoureiro no Diretório Estadual do Partido. Foi um dos fundadores do Sindicato dos Agentes Tributários Estaduais de Mato Grosso do Sul, atual Sindifiscal/MS, onde foi secretário geral e presidente.

No Governo do Estado foi coordenador geral tributário e financeiro da Secretaria de Fazenda e superintendente da Central de Compras do Estado. Entre 2003 e 2006 foi presidente da Agência Estadual de Habitação, na gestão de Zeca do PT.

Na Assembleia, criou a Frente Parlamentar em Defesa do Meio Ambiente e o movimento “Meio Ambiente Limpo, Planeta Vivo”. Propôs projetos de lei que estabelecem normas para o cultivo da cana-de-açúcar; a Política Estadual de Gestão e Proteção da Bacia do Rio Paraguai; a suspensão das concessões de licenças de desmatamento e disciplina produção, transporte, comercialização e utilização de carvão; a ampliação dos critérios de distribuição do ICMS Ecológico entre os municípios de Mato Grosso do Sul.

Amarildo deixa esposa, 3 filhos e uma história de luta dentro do partido.