22 de maio de 2024
Campo Grande 25ºC

ELEIÇÕES 2022

Os 8 deputados federais eleitos por Mato Grosso do Sul

Da lista, 4 se reelegeram, 3 são novatos e um 'retorna'

A- A+

Com 99,97% das urnas apuradas, estes são os deputados federais eleitos pelo Mato Grosso do Sul neste domingo (2.out.22). Eles serão os representantes do povo num mandato de 4 anos, que vai do período de 2023 a 2026 na Câmara de Deputados em Brasília (DF). 

Eis a lista de eleitos e eleita com nome, número de votos e percentual alcançado em cada respectiva legenda:  

Beto Pereira  (PSDB)                                                                                           97.824  (6,96%)

Dr. Geraldo Resende (PSDB)                                                                              96.498  (6,86%)

Vander Loubet (PT)                                                                                             76.439  (5,44%)

Camila Jara (PT)                                                                                                   56.549  (4,02%)

Dagoberto (PSDB)                                                                                                48.201 (3,43%)

Dr. Luiz Ovando (PP)                                                                                            45.490 (3,24%)

Rodolfo Nogueira (PL)                                                                                41.773 (2,97%)

Desse bloco de eleitos, os novatos são Camila Jara, que é uma vereadora de Campo Grande que havia se licenciado para tentar o cargo federal e agora a única deputada federal mulher eleita por Mato Grosso do Sul. Ela foi acertiva, tendo captado mais de 56 mil votos, ficando atrás do seu aliado político Vander Loubet, esse que se reelegeu.  

cailla

 

Camila Bazachi Jara nasceu no dia 10 de fevereiro de 1995, em Campo Grande. Aos 25 anos, cursa o último semestre de Ciências Sociais na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

É idealizadora do Coletivo Elas Podem, cujo intuito é inspirar mulheres e meninas a serem o que quiserem através do desenvolvimento de suas potencialidades. É também liderança municipal do Movimento Acredito-MS e militante da juventude do Partido dos Trabalhadores. Participou ainda do Estágio Visita na Câmara Federal em Brasília. Em 2020 foi eleita a vereadora mais jovem da Câmara com 3.470 votos.

Também são novatos os bolsonaristas: Marcos Pollon e Rodolfo Nogueira, ambos do PL e alinhados à extrema-direita. Defensores de portes de armas e pautas conservadoras. Pollon foi notícia aqui no MS Notícias quando fez um evento irregular pró-armas onde supostamente foi sorteado uma pistola.

Advogado e professor universitário sul-mato-grossense, Marcos Pollon, nasceu em Dourados em 1981. Ganhou notoriedade pela bandeira de defesa, a revogação do Estatuto do Desarmamento sancionado em 2003. Para avançar em direção ao estatuto, em 2005 o bolsonarista fundou uma entidade chamada PROARMAS.Advogado e professor universitário sul-mato-grossense, Marcos Pollon, nasceu em Dourados em 1981. Ganhou notoriedade pela bandeira de defesa, a revogação do Estatuto do Desarmamento sancionado em 2003. Para avançar em direção ao estatuto, em 2005 o bolsonarista fundou uma entidade chamada PROARMAS.
Ele conquistou mais de 41,1 mil votos, terminando a eleição com 2,97% da preferência dos eleitores de Mato Grosso do Sul. Ele conquistou mais de 41,1 mil votos, terminando a eleição com 2,97% da preferência dos eleitores de Mato Grosso do Sul. 

Nogueira é oriundo de Dourados, onde ganhou notoriedade como produtor agropecuário. Ele já foi eleito suplente de Soraya Thronicke (União Brasil) para o Senado, agora, supostamente adversária política do ídolo de Nogueira.  

Formado em Medicina pela Universidade Federal do Ceará, Geraldo Resende iniciou a trajetória política em 1991. Foi vereador de Dourados, deputado estadual e federal. Também já foi secretário de Saúde em Mato Grosso do Sul de 2000 a 2002.Formado em Medicina pela Universidade Federal do Ceará, Geraldo Resende iniciou a trajetória política em 1991. Foi vereador de Dourados, deputado estadual e federal. Também já foi secretário de Saúde em Mato Grosso do Sul de 2000 a 2002.

O 4º eleito está retornando ao cargo. É o ex-secretário de Saúde Geraldo Resende. Mineiro de Córrego Danta foi, já foi deputado federal em 2018, com mandato até 2023. Porém, ele se afastou para exercer cargo de secretário de Saúde em MS. Com a reeleição, Geraldo volta para a Casa de Leis para o sexto mandato com mais de  95 mil votos.  

Os demais foram os reeleitos: Vander Loubet (PT), o bolsonarista Dr. Luiz Ovando (PP), Beto Pereira e o ex-pedetista e agora tucano, Dagoberto.