25 de maio de 2024
Campo Grande 14ºC

BOLSONARISTA

Padrinho de casamento de Flávio é exonerado por Bolsonaro

Trabalhou por 5h este mês e viajou todo fim de semana

A- A+

Jair Bolsonaro (PL) demitiu nesta 3ª.feira (20.dez.2022) o secretário especial do Esporte, Marcelo Reis Magalhães. Ele estava no cargo desde fevereiro de 2020, quando foi nomeado para a função, indicado pelo senador Flávio Bolsonaro (PLRJ), de quem foi padrinho de casamento. 

A demissão foi publicada em edição do Diário Oficial da União (DOU). Eis a íntegra.

OS ANTITRABALHO

Magalhães tomou posse em 11 de março e foi o 3º no cargo desde o início do mandato de Bolsonaro, em 2019. Ele substituiu o general Décio Brasil, que foi demitido sem motivo explicado naquele ano. 

Magalhães devia ter trabalhado no Escritório de Governança do Legado Olímpico (EGLO), que em teoria cuida dos equipamentos usados nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. No entanto, seu próprio chefe na época, alegou que ele não aparecia no local de trabalho.

De acordo com informações do blog “Olhar Olímpico”, existem poucos registros públicos do seu trabalho como secretário especial do Esporte depois de três anos. Ele não costumava comparecer a eventos que não no Rio de Janeiro ou em Brasília e, oficialmente, praticamente só tinha reuniões com subordinados e “despachos internos”. Além disso, trabalhou somente cinco horas este mês e viajou todo fim de semana.

OUTROS EXONERADOS

Também nesta 3ª.feira, outros 4 integrantes da secretaria do Esporte foram dispensados das funções. As demissões foram assinadas pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Foram demitidos: 

Fabíola Pulga Molina – secretária nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social;

Ronaldo Lima dos Santos – secretário nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor; Dagoberto Fernando dos Santos – diretor do Departamento de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor; e,

Daniel Chierighini Barbosa – diretor de Programa da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento.

A íntegra.