13 de junho de 2024
Campo Grande 23ºC

Partidos pequenos da AL devem formar bloco para integrar comissões permanentes

Um dos objetivos do bloco é dar mais visibilidade aos partidos dentro da Casa de Leis

A- A+

Os partidos com menos de quatro integrantes em suas bancadas na Assembleia Legislativa, estão em meio a conversas e cogitam a formação de um bloco para integrar as Comissões Permanentes da Casa, com o maior número de integrantes possível.

Conforme explicou Lídio Lopes (PEN), único deputado da sigla, caso o bloco tenha mais de oito integrantes, dois nomes poderão ser indicados para cada uma das 15 Comissões que há.

“Este é um bloco para reforçar a questão da participação nas Comissões, para que haja equidade na distribuição dos nomes, mas nada foi definido ainda, não foi batido o martelo”, disse a reputada Republicana, Graziele Machado.

A definição se haverá ou não o bloco deve acontecer até a próxima terça-feira, já que o prazo para os partidos indicarem os nomes para comissões se encerra na quarta-feira.  “A mais disputada é a CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), mas só depois de formado o bloco é que vão começar a surgir os nomes para as vagas, mas a presidência da CCJR é cogitada por vários deputados”, disse Márcio Fernandes (PT do B), que já deixou claro que não pretende colocar o nome à disposição para a presidência desta comissão.

Lídio Lopes, ao contrário de Márcio Fernandes, reivindica a vaga da presidência da CCJR, e também garante que mais parlamentares irão fazer suas reivindicações, de acordo com o que desejam.