30 de julho de 2021
Campo Grande 20º

Paulo Duarte aconselha Nelsinho a atacar menos e produzir mais

A- A+

Mesmo negando ser candidato ao Senado nas eleições de 2014, os rumores de que o governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), pode entrar na disputa rondam o Mato Grosso do Sul. De acordo com o presidente regional do PT (Partido dos Trabalhadores) e prefeito de Corumbá Paulo Duarte (PT), a decisão do governador não muda a direção do Partido dos Trabalhadores (PT), mas gera um grande impacto no Estado. “Com certeza a decisão do André causará grande impacto em todos os partidos, afinal ele é governador e isso é uma definição importante. Ainda é cedo para definir algo, todos os partidos estão conversando e com certeza a decisão dele pode gerar impacto, mas não afeta nosso partido”.

O prefeito garante que diversos “ataques” entre partidos serão expostos na imprensa e sobre afirmação do candidato do PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) a governo do Estado, Nelsinho Trad de que PT é responsável pela “má” administração do prefeito Alcides Bernal (PP) em Campo Grande, Paulo Duarte ressalta que Nelsinho não tem argumento.

“É falta de argumento da parte do Nelsinho, deu 2º turno e nosso partido iria apoiar alguém e neste caso, apoiamos o Bernal. Não somos responsáveis por uma administração, seja ela boa ou não, responsável é quem está administrando. Eu sou prefeito de Corumbá, sou responsável pela cidade, não faz sentido responsabilizar um partido que me apoiou por algo que eu esteja fazendo na minha administração, seja algo bom ou ruim. Ao invés do Nelsinho se preocupar em expor o que pretende fazer caso consiga ser eleito, ao invés de ele se preocupar em mostrar o que já fez, me admira muito ele se preocupar com ataques, mas entendo, afinal nosso candidato Delcídio do Amaral (PT) aparece na frente nas pesquisas e isso faz com que outros partidos tentem denegrir nossa imagem”, ressalta o prefeito.

Em relação aos ataques de partidos adversários ao PT, como é o caso do DEM (Democratas), que tem acusado o PT e governo Dilma de explorar trabalhadores do Mais Médicos,  Paulo Duarte afirma que o partido está perdendo seu foco. “O foco do partido deveria ser o que seus candidatos fizeram, mas isso não acontece. Só vejo o deputado federal Luiz Henrique Mandetta atirar pedras nos outros, quando na verdade o mais importante em um ano como este, seria mostrar os projetos, mostrar o que foi feito. A Dilma teve uma coragem grande em criar este programa, ela atendeu ao pedido da população que não se importa com a língua que o médico fala, se importa em ter atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Segundo Paulo Duarte, Corumbá recebeu 15 médicos, 11 vieram de Cuba e a população demonstra que está satisfeita com desempenho dos profissionais na região. “Recebemos 11 médicos de Cuba e a preocupação da população é em receber o atendimento e os médicos estão satisfeitos com os resultados adquiridos. Os médicos brasileiros têm o direito de escolher a região para exercer seu trabalho e a maioria prefere as capitais, então a ideia deste programa traz benefícios para a população do interior. Os médicos passam por um treinamento para aprender o básico sobre a língua portuguesa e conseguem desenvolver um belo trabalho. Nos próximos meses devemos receber mais 5 médicos.”, diz Paulo Duarte.

Dany Nascimento