29 de maio de 2024
Campo Grande 14ºC

NACIONAL | ARAUCÁRIA (PR)

Prefeito bolsonarista de 65 anos casa-se com menina de 16 anos

Lei flexibilizada por Bolsonaro permitiu casório de idoso com adolescente

A- A+

O prefeito bolsonarista de Araucária (PR), Hissam Hussein Dehaini (sem partido), casou-se com Kauane Rode Camargo, de 16 anos, conhecida por participar de concursos de beleza na cidade paranaense.

Segundo registro do Jornal Oficial dos Cartórios de Registro do Brasil, o idoso se casou com a adolescente em 15 de abril deste ano. A união foi no cartório do qual a vice-prefeita, Hilda Lukalski Seima (PSD), é titular.

Desde 2019, por meio de uma lei federal que alterou a redação do Código Civil, sancionada pelo então presidente Jair Bolsonaro (PL), o Brasil passou a permitir o casamento de meninos e meninas a partir da chamada "idade núbil", isso é, quando completam 16 anos. Antes disso, um adulto se relacionar com menores era proibido em qualquer hipótese, mas Bolsonaro flexibilizou a lei.  

Para a formalização do casório entre adultos e menores, é necessário, porém, a autorização legal dos pais ou responsáveis pelo menor, de acordo com o Código Civil.

Ao longo das eleições de 2022, Hissam foi um àvido apoiador de Jair Bolsonaro (PL), na época candidato para presidência.Veja abaixo cópia de postagem de Hissam Hussein Dehaini em apoio à reeleição de Bolsonaro:

Também há vídeos de Hissan em franca campanha ao ex-mandatário: 

PATRIMÔNIO 

Em sua declaração ao Tribunal Superior Eleitoral, em 2020, ele declarou ter patrimônio superior a R$ 14 milhões, entre helicóptero, carro de luxo, três apartamentos avaliados em mais de um milhão cada, além de R$ 3 milhões em espécie. Em 2016, a declaração de bens foi de mais de R$ 6,3 milhões. Em 2012, Hissam afirmou à Justiça que tinha mais de R$ 1,4 milhão

NEPOTISMOS

O político havia dado cargos políticos à mãe adolescente, Marilene Rôde, tornada secretária de Cultura e Turismo em 13 de abril – antes, era diretora-geral na Secretaria de Educação do município  e ganhava cerca de R$ 13,9 mil – com a nomeação à pasta da cultura, a mãe da adolescente passou a ganhar R$ 21,4 mil.  A tia da adolescente, Elizângela Rôde, também ganhou um cargo de secretária de Planejamento.

Além dos familiares da “primeira-dama”, o bolsonarista mantém outros seis parentes acomodados em cargos públicos, entre elas estão duas filhas e uma nora, que são secretárias municipais, além de uma ex-esposa. Os nepotismos custam R$ 97 mil mensais aos cofres públicos de Araucária, somado ao salário do prefeito, R$ 17.940,27.

Confira, abaixo, a lista de servidores com parentesco com Hissam. A reportagem tenta contato com todos os citados.

YASMIM HISSAM DEHAINI
SECRETÁRIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO

  • Período: desde 2017
  • Salário: R$ 21.416,00
  • Parentesco: filha do prefeito

RYAM HISSAN DEHAINI
SECRETÁRIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE PESSOAS

  • Período: desde 2017
  • Salário: R$ 8.940,42
  • Parentesco: filha do prefeito

CILMARA MARIA DO ROSÁRIO
SECRETÁRIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO

  • Período: desde outubro 2020
  • Salário: R$ 21.416,00
  • Parentesco: nora do prefeito

IVETE ROMASKO
ASSESSORA EXECUTIVA DO PREFEITO NA SECRETARIA DE FINANÇAS

  • Período: desde fevereiro de 2020
  • Salário: R$ 12.766,48
  • Parentesco: mãe de uma filha do prefeito

MARGIA IOLANDA CAMARDO

  • Período: ocupa o cargo atualmente
  • Salário: R$ 20.416,00
  • Parentesco: mãe de uma filha do prefeito

DIRETORA ADMINISTRATIVA DA COMPANHIA MUNICIPAL DE HABITAÇÃO

ALINE DE DEUS DEHAINI

ASSESSORA EXECUTIVA DO PREFEITO NA SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE

  • Período: desde dezembro de 2020
  • Salário: R$ 12.766,48
  • Parentesco: ex-esposa e mãe de um filho do prefeito

SUSPEITAS DE LIGAÇÃO COM O NARCOTRÁFICO

Entre o final dos anos 1990 e o início dos anos 2000, Hissam Hussein Dehaini foi investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Narcotráfico indiciado por envolvimento com tráfico de drogas, furto e desmanche de veículos, concussão, extorsão, corrupção ativa e passiva.

A suspeita era de que o empresário, apontado como empresário do ramo de hotéis e agência de carros, mantinha em uma das chácaras uma pista de pouso para helicópteros e um laboratório para o refinamento de cocaína, o que foi negado por ele com a justificativa de que operava uma empresa de transporte aéreo.

Ele chegou a ser preso por 60 dias, em março de 2000, pela Polícia Federal, a pedido da CPI nacional. Sete meses depois, voltou a ser detido na fase paranaense da Comissão, denunciado por tráfico de drogas, proteção a traficantes e pagamentos a policiais. Permaneceu detido na Prisão Provisória do Ahú, em Curitiba, mas foi solto 104 dias depois, já em janeiro de 2001.

Sete anos depois, em outubro de 2007, o empresário voltou a ser preso no âmbito da Operação Metástase, acusado de participar de um esquema de fraude de licitações públicas no estado de Roraima. A suspeita era de que a empresa Icaraí Táxi Aéreo, ligada a Dehaini, vencia contratos de forma fraudulenta e recebia valores acima do devido. O indiciamento do inquérito, além da fraude de licitação, incluiu lavagem de dinheiro, descaminho, corrupção ativa, formação de quadrilha, sonegação fiscal, crime contra a ordem econômica e quebra de sigilo telefônico.

À época, um dos filhos do empresário, Rihad Hussein Dehaini, também chegou a ser preso.

RESPOSTAS DA SOCIEDADE E DA JUSTIÇA

 

Na 3ª.feira (25.abr.23), a tag "Pedófilo" foi parar no trending topics do Twitter, com milhares de compartilhamentos condenando a união de um idoso com uma adolescente. 

Também na terça, após a repercussão do caso, o prefeito anunciou a saída do partido Cidadania. Ele se elegeu duas vezes pela sigla como prefeito de Araucária. Em nota, o político agradeceu ao partido. Desde 2009, Dehaini era filiado ao Cidadania, única legenda da qual já fez parte. O político não informou se irá para outra legenda.

No dia seguinte a explosão do caso, ao menos 8 exonerações de familiares do prefeito, foram publicadas na 4ª.feira (26.abr.23), no Diário Oficial de Araucária. O caso, que pode configurar nepotismo pela legislação, está sendo apurado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR).