27 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 22º

Pressionado pelo diretório estadual do PTB, Edson Shimabukuro deve votar pela cassação de Bernal

O vereador Edson Shimabukuro (PTB) cotado para ser um dos novos aliados do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), na luta pela não cassação, ainda está indeciso em relação ao seu voto de amanhã, mas garante que, por indicação do partido, se Bernal não entregar a Sgetran (Agência Municipal de Trânsito) fechada até amanhã às 8h, votará pela cassação.  Edson Shimabukuro Shimabukuro explica que, por ele, votaria pela não cassação do prefeito para em seguida receber a Agetran. "Eu mesmo em uma conversa com Bernal acabei propondo isso a ele quando vi que ainda não confiava que votaria junto com os aliados, mas como o nosso presidente estadual não concorda, eu sigo meu partido", afirma. De acordo com o vereador, Bernal ainda tem tempo entre hoje e amanhã de garantir ao PTB toda a secretaria. "Queremos a Agetran fechada, não apenas a diretoria, pois temos técnicos suficientemente preparados para resolver o problema do trânsito na cidade e fazer o que todos sabem que é preciso, mas ninguém fez até hoje". Sem Shimabukuro, Bernal tem garantido apenas seis vereadores, já que Paulo Pedra (PDT), Alceu Bueno (PSL), Dr. Jamal (PR) e os tucanos Rose Modesto e João Rocha ainda não se decidiram sobre seus votos. Com isso, o prefeito precisa entre hoje e amanhã conquistar a simpatia de mais quatro vereadores para garantir seu mandato. Até o momento Bernal conta com voto contra cassação dos petistas Zeca, Alex e Airton, da vereadora Luiza Ribeiro (PPS), de Gilmar da Cruz (PRB) e Cazuza (PP). Heloísa Lazarini