24 de janeiro de 2021
Campo Grande 29º 22º

Puccinelli afirma que PDT pode voltar para PMDB, mas depende exclusivamente de Nelsinho

O governador André Puccinelli (PMDB) não se abalou com a primeira derrota sofrida por seu partido na disputa eleitoral deste ano em relação à perda do PDT (Partido Democrático Trabalhista) para o PT (Partido dos Trabalhadores). André afirmou na manhã de hoje, durante a entrega de instrumentos musicais na Escola Estadual Joaquim Murtinho, que existe 90% de chance PDT ter uma aliança com o PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) em Mato Grosso do Sul, e disse ainda que a conqyuista de partidos aliados depende apenas dos pré-candidatos envolvidos, ou seja, André passa a bola para Nelsinho e de uma certa forma se isenta da responsabilidade de formar o time que irá disputar o governo do Estado junto ao PMDB.

“Acredito que eles ainda não decidiram apoiar o PT e tudo pode mudar, tem 90% de chance do PDT formar uma aliança com o PMDB nas eleições de 2014, basta o candidato demonstrar vontade. Não sou eu quem vai mudar o pensamento do partido e sim o próprio candidato”, afirma o governador.

Com isso, mais uma vez, André deixa a  dúvida no ar em relação a sua participação na campanha de Nelsinho e ao nome do futuro candidato do PMDB ao governo do Estado, pois, desde o ano passado, o governador tem evitado se envolver nas conversas entre o pré-candidato do PMDB e outros partidos, como PR (Partido da República), por exemplo, que tem sido, desde o governo de André, forte aliado do PMDB.

Sendo apontado como um forte candidato ao Senado, Puccinelli prefere não comentar a possível candidatura. “Sobre candidatura ao Senado eu prefiro não falar nada”. No entanto, em ocasiões anteriores, ele mesmo admitiu que existe a possibilidade, basta apenas que seus amigos, familiares e que o povo de Mato Grosso do Sul assim deseje.

Recentemente, André esteve com o ministro chefe da Casa Civil Aluizio Mercadante (PT), que, segundo governador, o convidou para se unir ao PT no Estado e sair como candidato ao Senado na chapa de Delcídio. Em entrevista, na semana passada, André voltou a afirmar seu apoio a Dilma e questionado se manteria sua posição mesmo diante de uma mudança de rumos dentro do PT no Estado, garantiu que e fez questão de afirmar que se preciso fosse, se licenciaria do PMDB para apoiar a reeleição da presidente petista.

Dany Nascimento, Heloísa Lazarini e Diana Christie