19 de maio de 2024
Campo Grande 20ºC

INTERIOR

Rezadora indígena é executada por capangas em MS

Encapuzados usaram arma de grosso calíbre; crianças viram momento do crime

A- A+

Estela Verá, de 67 anos, rexadora indígena foi executada dentro de casa, na frente do próprio filho, por dois capangas encapuzados que fugiram do local. O crime aconteceu na tarde de 15 de dezembro, na Terra Indígena Ivy Katu, no município de Japorã (MS). 

A região, na divisa com o Paraguai, é uma área de conflitos violentos entre povos indígenas e fazendeiros. Os capangas são contratados com frequência para matar lideranças que afrontam os fazendeiros, o caso de Estela.  

Em julho desse ano, a Defensoria Pública da União chegou a pedir proteção para outra líder indígena, Leila de Ivy Katu, de 61 anos, que vem sendo alvo de ameaças, por se opor aos arrendamentos ilegais que têm se intensificado na região.

O Tribunal Penal Internacional também está sendo acionado, como explicou a porta-voz da Assembleia dos Povos Guarani e Kaiowa, Valdelice Veron, que vive em outra terra indígena do estado também palco de violência, no município de Ponta Porã. 

Atualmente, há cerca de 120 mil indígenas Guarani-Kaiowá no Mato Grosso do Sul. Alguns morando em reservas indígenas, mas muitos em uma das 69 áreas indígenas Retomadas, que ficam nas divisas de fazendas. Nesses lugares os conflitos são mais violentos.]

A Assembleia Geral do povo Kaiowá e Guarani, Aty Guasu, se manifestou por meio de nota. A entidade disse:  

Com profunda pesar comunicamos o assassinato da liderança espiritual nhandesy Guarani Estela Vera no tekoha Yvy Katu, município de Japorã-MS. No dia 15/12/2022, às 15h da tarde, grupo de assassinos armados atacaram à casa e às famílias da rezadora Estela. Os assassinos utilizaram armas de fogos de calibre grosso, atacaram e dispararam vários tiros em direção às vidas das crianças e rezadora Estela. A liderança espiritual Estela foi alvo principal dos assassinos, e vários tiros acertaram a cabeça da rezadora e morreu no pátio da casa dela no meio das crianças. A Terra Yvy Katu é um território tradicional retomado em 2003 e 2013 onde todas as lideranças sofrem a ameaça de morte por parte dos fazendeiros. Atualmente o espaço da terra de Yvy Katu é invadido novamente e ocupado ilegalmente pelos fazendeiros arrendatários, que várias lideranças de Yvy Katu sofrem ameaças de morte por fazer denúncias contra arrendatários das terras indígenas Yvy Katu. A rezadora Estela foi uma das lideranças espirituais ameaçadas de morte no Yvy Katu. A outra liderança Leila de Yvy Katu sofre ameaça de morte por fazer denúncias contra arrendatários. Diante do fato de assassinato de liderança Estela Vera e ameaça de morte em curso PEDIMOS investigação federal desse assassinato da liderança religiosa tradicional Estela Vera EXIGIMOS proteção às lideranças ameaçadas de morte promovidas pelos grupos dos arrendatários do Yvy Katu. Mais uma vez retornamos a fazer denúncias de arrendamento ilegal de terra indígena no território Yvy Katu onde ocorreu assassinato de Estela Vera. Pedimos JUSTIÇA e investigação federal séria do assassinato ocorrido. JUSTIÇA!

A vereadora e deputada federal eleita, Camila Jara (PT), compartilhou um fragmento do filme Yvy Pyte - Coração da Terra,  em que a rezadora diz que as casas de reza são uma maneira de os povos originários preservarem a história dos antepassados. Eis o vídeo: