10 de abril de 2021
Campo Grande 35º 20º

Sem André, pressão do PMDB para 2016 recai sobre Simone

As vésperas da convenção do PMDB que será realizada nesta segunda-feira (26), as especulações sobre um possível candidato para disputar as eleições pela Prefeitura de Campo Grande em 2016 rondam o partido.

Ainda sem definição de quem ‘encabeçará’ a batalha pelo Executivo, o presidente estadual do partido, deputado estadual Junior Mochi (PMDB) não vê problemas na falta de um nome, pois ainda vê tempo para o partido decidir quem será o candidato. “Nós teremos uma reunião em Campo Grande na segunda-feira (26), nosso partido tem nomes fortes e de competência, mas vamos definir com calma, vamos analisar os cenários e quem quer se colocar a disposição para disputar as eleições em Campo Grande. O importante é que não deixaremos de expor nossas ideias nas eleições e teremos candidatos na maioria das cidades”, disse Mochi ao MS Notícias. 

O deputado estadual Eduardo Rocha (PMDB) minimizou a falta de ‘espontaneidade’ dos membros do partido para disputar as eleições em 2016. “Nós queremos o máximo de candidatos em Mato Grosso do Sul expondo nossas ideias. Não vejo problema ainda o partido não ter nenhum nome como pré-candidato. Tem algum outro partido com um nome definido para disputar as eleições ano que vem? Você viu o PSDB, o PT articulando algum representante? Nós vamos fazer as coisas com calma e esperar que alguém se ofereça primeiramente, pois é da democracia do partido”, destaca Rocha. 

‘Pressão sobre Simone’
Com a negativa do ex-governador André Puccinelli (PMDB) para representar o partido em 2016, um nome forte seria o da senadora Simone Tebet (PMDB), que também não demonstrou interesse em desocupar a cadeira no Senado. “Apesar da Simone ter o interesse em continuar no Senado, não descartamos a possibilidade do nome dela representando o partido. Temos outros nomes importantes mas a pressão sobre a senadora será forte”, afirma o deputado.