13 de junho de 2024
Campo Grande 23ºC

Operação Fantoche

Sindicância para apurar irregularidades no FIC era presidida por ex-coordenador do FIC

Dentre os nove processos iniciais, somente um foi cancelado devido atendimento das irregularidades apontadas na prestação de contas do projeto cultural

A- A+

O ex-coordenador do FIC (Fundo de investimentos Culturais), Reginaldo Peralta é presidente das comissões de tomada de conta especial de projetos. E é por conta de fraudes relacionadas a recursos desse fundo que o Gaeco deflagrou a operação Fantoche hoje, de manhã, onde Reginaldo está detido.

O Diário Oficial do Estado trouxe a prorrogação por 60 dias de sete tomadas de conta especial. Os projetos somam R$ 174.977 e somam nove procedimentos. Os processos especiais para apuração dos fatos, identificação dos responsáveis, quantificação do dano e obtenção do ressarcimento foram instaurados em 31 de dezembro de 2014.

Além de Reginaldo , as comissões  contavam com mais dois membros: Débora Gonçalves Rezende e Márcia Nantes Garcia. Nesta quarta-feira, a nova direção da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul substituiu a servidora Débora Gonçalves Rezende por Ivania Paula Zanchi e prorrogou o prazo das tomadas de conta especial por mais 60 dias.

Dentre os nove processos iniciais, somente um foi cancelado devido atendimento das irregularidades apontadas na prestação de contas do projeto cultural. Reginaldo foi coordenador do FIC nos últimos quatro meses da Gestão do ex-governador André Puccinelli (PMDB) e com a troca de governo, retornou ao quadro de servidor.

As buscas foram cumpridas em residências, sedes de empresas e da Fundação de Cultura. O nome da ação é em alusão à fraude e manipulação de projetos na área cultural.

As portarias prorrogam por 60 dias a apuração sobre o projeto cultural Carlão e Cleonir – Duo Pantaneiro (valor de R$ 21.400); Miguelito Instrumental 2 (R$ 12.386,90); CD Jennifer Magnética – O Nascimento dos Planetas (R$ 21.000); Primeiro Festival Estadual de Contadores de Histórias de MS (R$ 50.000); Documentando Corguinho (R$ 29.500); Oficina Tuiuiú de Artesanato Temático em Terracota do Pantanal (R$ 20.000); Surfistas de Trem – Moderna Música da Fronteira (20.691,00). Os projetos são dos anos de 2012,2013 e 2014.