16 de setembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

AGENDA DAVOS

Tereza Cristina prevê convergência entre digital e biológico em 10 anos

Ministra da Agricultura discursou no painel "Destravando inovação para transformar sistemas alimentares" em evento virtual do Fórum Econômico Mundial

A- A+

Durante o evento virtual do Fórum Econômico Mundial, a campo-grandense Tereza Cristina, atual ministra da Agricultura, afirmou hoje (27.jan.2021) que a inovação é o único fator capaz de conciliar produção de alimentos e proteção do meio ambiente.

"A transformação digital tem ocorrido muito rapidamente no Brasil, e o agronegócio precisa estar inserido nesse contexto de mudanças", afirmou ela, publicando sua participação no Fórum Econômico Mundial de Davos.

Na estratégia de despistar os demais países, Tereza Cristina elencou "bioeconomia" e  "sustentabilidade" como eixos estratégicos de ações governamentais pelo seu ministério, sem mencionar iniciativas voltadas à proteção ambiental.

Segundo informações da Folhapress, Tereza Cristina foi ministrante no painel "Destravando inovação para transformar sistemas alimentares". Após as queimadas em território pantaneiro ficarem escancaradas para todo o globo, o Brasil tem recebido duras críticas de diversos outros países por sua política ambiental e índices recordes de desmatamento.

Nas reuniões anuais, que acontecem em Davos, na Suíça, reúnem-se mais de duas mil pessoas, principais líderes empresariais, políticos, intelectuais e jornalistas selecionados, onde são discutidas as questões mais urgentes enfrentadas mundialmente. Desde 2020 que o meio ambiente ganhou espaço com maior relevância nas discussões do Fórum Econômico Mundial (FEM).

Ano passado o FEM lançou a iniciativa "O Grande Recomeço" (The Great Reset), em referência ao mundo pós-Covid, ressaltando a preocupação com vidas humanas, recuperação econômica e uso sustentável de recursos do planeta. Até o dia 29 acontece o evento virtual dessa semana, como espécie de preparação para a reunião anual sendo planejada para maio em Singapura, ainda em meio às incertezas com a pandemia.

Na Agenda Davos a Tereza Cristina ainda demonstrou apoio a expansão tecnológica entre pequenos produtores, como uma forma de estimular a não migração do jovem do meio rural para o ambiente urbano.

"Temos mais de 4,5 milhões de pequenos produtores, e essa integração [digital] fará com que os jovens fiquem no campo e possam trabalhar, manter suas famílias e não deixar a população tão envelhecida que temos hoje no meio rural", disse.

Tereza Cristina avalia que o país segue, em ritmo acelerado, um processo de inovação da tecnologia no campo, prevendo para os próximos 10 anos uma convergência entre o digital e o biológico. De acordo com a ministra, mais de 2.000 empresas no Brasil investem hoje no desenvolvimento de tecnologias, como protocolos de certificação e rastreabilidade, que permitem produtos mais sustentáveis e seguros para os consumidores.

"Nos últimos anos, o volume de investimento em agritechs [empresas que investem em tecnologia e agricultura] no Brasil tem subido muito. Saltou de US $4 milhões em 2013 para mais de US $200 milhões em 2019", disse.