03 de maro de 2021
São Paulo 39º 24º

Coffee Break

TJ julga nesta quarta pedido de Baird para paralisar investigação

O pedido de habeas corpus preventivo feito pelo empresário João Roberto Baird, será julgado nesta quarta-feira (27) pelo desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva.

Baird alega constrangimento de sua honra diante da investigação referente à Operação Coffee Break e solicita à Justiça que lhe permita anexar documentos e/ou petições para defesa ou que de forma alternativa a apuração do seu envolvimento nas denúncias investigadas pela Coffee Break sejam paralisadas.

O empresário é dono da Itel Informática, é aparece em áudios gravados pela Polícia Federal, dentro da Operação Lama Asfáltica, em conversas com empresário Fabio Portela onde ambos disuctem a contagem dos votos dos vereadores da Capital para garantir cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), que aconteceu em março de 2014. Conforme diálogo explícito em relatório da Polícia Federal: 

"Fabão: O Goiano, ontem, me garantiu, me garantiu que fechou o pastorzinho, aquele, da Cruz, lá.
João Baird: Certo. Que que se acha que dá?
Fabão: Todo mundo faz a conta de 22.
João Baird: Hum hum.
Fabão: A minha conta pode ser 23. Podendo chegar a 24.
João Baird: É, né?
Fabão: O Almi, ele não disse nada até agora. Era para ser ontem, dez da noite a conversa, não foi. Aí ele pediu para ser hoje de manhã, acabou, não foi. Mas ele não disse: ó, não vamo fazer!... Eu combinei com o xará ontem que se ele, ele falasse: vamo conversar, eu pegava o cara e levava pra ele. Pode ser se esse cara aí, o cabo acer... se entende conosco, pode virar 24 na minha conta."

Ainda em 2015, quando efetuou pedido, Baird conseguiu liminar para anexar documentos, porém, de acordo com manifestação do desembargador nos autos do processo, o empresário não os apresentou. Em seguida, o Ministério Público Estadual (MPE) se manifestou contrário ao pedido de Baird, fazendo com que decisão voltasse para desembargador Luiz Claudio Bonassini.