15 de junho de 2021
Campo Grande 28º 15º

Trad critica obras paradas no governo de Reinaldo Azambuja

O deputado estadual Marquinhos Trad, acredita que as obras não deveriam estar paradas, mas sim, devem ser continuadas por Azambuja

A- A+

O deputado estadual Marquinhos Trad (PMDB), criticou na manhã de hoje, durante o uso da tribuna na Assembeia Legislativa, as obras inacabadas do ex-governador André Puccinelli (PMDB), e que estão paradas no atual governo do tucano Reinaldo Azambuja.

O parlamentar começou sua fala dizendo que não se pode deixar que o governo e outros poderes deixem os deputados de  “cócoras” a eles, e que os parlamentares devem cumprir o seu poder de fiscalização.

Isso porque, para Trad, não é aceitável que o governo tucano deixe de dar continuidade às obras de Puccinelli, e citou como exemplo o Aquário do Pantanal, que está com as obras parcialmente paradas devido a uma auditoria.

O deputado criticou Azambuja, já que, como deputado federal na época, ele tinha o poder de cobrar fiscalizações na obra e não a fez. “Tinha o poder de fiscalizar, ele podia ter colocado o capacete, ter visto os contratos”.

Em defesa do atual governo,  o deputado Paulo Corrêa (PR) disse que pode ter acontecido a falha de a Casa não fazer as fiscalizações necessárias, assim como o TCE (Tribunal de Contas do Estado) e MPE (Ministério Público Estadual), mas que, Trad se esqueceu que não há verbas nos cofres estaduais e acrescentou que a arrecadação do Estado no mês de janeiro foi 8% menor se comparada a janeiro de 2014.

Outro fator que contribuiu para o esvaziamento dos cofres foi a aprovação no final do ano passado de R$ 25 milhões na folha, para ser pago neste ano.

Outro parlamentar que defendeu Azambuja foi o líder do governo na Assembleia Legislativa, Rinaldo Modesto (PSDB), que disse que a decisão de paralização de obras foi tomada pelo o governo com muita cautela, e que no mês de março todas as contas sertão auditadas e se terá conhecimento de como estão as finanças e a realidade das obras, para então saber se poderá ser dada ou não continuidade.