16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

GOVERNO DE MS

Trapalhada da Economia faz encerrar concurso do IBGE com 22.409 vagas

IBGE comunica que as provas objetivas referentes aos Processos Seletivos Simplificados (PSS) para os cargos de Agente Censitário Municipal (ACM) e Agente Censitário Supervisor (ACS) (edital 01/2021) e Recenseador (edital 02/2021) não serão realizadas

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta terça-feira (6. abril) que suspendeu a realização das provas dos concursos para o Censo 2021. Com uma peça orçamentária defeituosa. "Tem defeitos demais", mesmo tendo sido feito com o Palácio do Planalto.  

A suspensão vale para 181.898 vagas de recenseador e 22.409 vagas para agente censitário municipal e supervisor. 

A decisão foi tomada por conta da aprovação, pelo Congresso, do Orçamento para este ano, que reduziu a apenas R$ 71 milhões o valor destinado para a realização da pesquisa – o valor acordado era de R$ 2 bilhões. O texto ainda não foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

O valor, segundo o instituto, inviabiliza a realização do Censo. Com isso, o IBGE decidiu suspender a realização das provas objetivas do concurso, para os cargos de agente censitário e recenseador, previstas de 18/04/2021 e 25/04/2021, respectivamente. Novas datas poderão ser definidas posteriormente, a depender da liberação de recursos.

Conforme divulgado no dia 26 de março, a votação do Orçamento no Congresso Nacional para o exercício 2021 reduziu em cerca de 96% o total de recursos destinados à realização do Censo Demográfico.

Diante desse cenário, o IBGE comunica que as provas objetivas referentes aos Processos Seletivos Simplificados (PSS) para os cargos de Agente Censitário Municipal (ACM) e Agente Censitário Supervisor (ACS) (edital 01/2021) e Recenseador (edital 02/2021) não serão realizadas nas datas previstas de 18/04/2021 e 25/04/2021, respectivamente.

O IBGE informa, ainda, que avaliará com o Cebraspe um novo planejamento para aplicação das provas, a depender de um posicionamento do Ministério da Economia acerca do orçamento do Censo Demográfico.

VAI TER QUE VETAR 

Vai ter que vetar as RP9 - (Emendas de Relator), integrais o parcialmente. Esse é o entendimento do Ministério Público, orientado ao Tribunal de Contas da União (TCU). Para que se conserte a peça errônea terão que cortar os gastos do Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (PR), que se esbaldou, além do devido. 

E vai ter que repor por meio de um PLL (Projeto de Lei Legislativo), as despesas obrigatórias que foram cortadas indevidamente, substituídas por emendas de relator. "Cortaram o recurso de pagar pensão e aposentadoria", tal ação é crime.  

Já no mês 4 de 2021 ainda não há previsão orçamentária ao Brasil, isso pode gerar a paralisação do Governo.  

 

 

Leia também

• Censo 2021: inscrição para o concurso do IBGE acaba hoje; salário é de R$ 2.100

• Abate de bovinos tem queda de 8,5%, anuncia o IBGE

• Prévia da inflação oficial fica em 0,93% em março, diz IBGE

• Líder anuncia compromisso do governo em destinar recursos para IBGE, saúde e universidades

• Líder: ajustes no Orçamento destinarão verbas a IBGE, saúde e universidades